BRASIL VENCE A ARGENTINA E VAI DECIDIR O TÍTULO

         



Por Zedejesusbarreto
Foi um grande clássico, decisão, rivalidade histórica em jogo, todos os ingredientes de um Brasil e Argentina. Vencemos, 2 x 0, jogando uma partida consciente, madura. Os argentinos vão mesmo disputar um terceiro lugar, com Messi e tudo.

- A final é domingo, no Maracanã (RJ).

*

Pré-jogo

- Presença no Mineirão do Presidente da República, de Neymar, de Cafu ... e mais as arquibancadas cheias. Muito amarelo.

- Torcida argentina transbordando emoção, barulhando, instigando. Tensão antes do apito inicial. Classificação em jogo.

*

Bola rolando

- Começou brigado, pra variar. Disputa acirrada pela bola no campo inteiro. Primeiro cartão amarelo pro lateral Tagliafico, aos 8 min, após entrada dura em Gabriel Jesus. Quente, sem predominâncias.

- Aos 11’, Paredes tentou um chutaço de longa distância, alto, mas assustou. O Brasil troca mais passes, tem mais a bola, mas não penetra. É jogo ‘pra pirão!’, pegada forte.

- Gol ! 1 x 0, Gabriel Jesus, aos 18min, escorando na pequena área um cruzamento de Firmino, da linha de fundo, pela direita, depois uma jogada de cinema do lateral Daniel Alves, rachando a linha defensiva argentina.

- Por uns bons minutos os Hermanos acusaram o golpe. Aos poucos assentaram os nervos e voltaram a equilibrar o jogo. Mas também não conseguem finalizar. Messi se mexendo, buscando o jogo, Casemiro em cima.

- Aos 29’, Messi bateu falta, alçando na pequena área, a defesa embolou com os atacantes e Aguero testou encobrindo Álisson; a bola bateu no travessão, quicou e a defesa brasileira se safou. Ufa !

- A equipe de Tite conseguiu controlar bem o jogo, bem plantado atrás, trocando passes no meio campo, sem maiores riscos até o final do primeiro tempo. Também chegou pouco na área adversária. Nada definido.

 

*

Segunda etapa

- Nos vestiários, Tite trocou: retirou Cebolinha (disperso) e colocou William, que marca mais. Aos 4’, boa trama dos vizinhos e Martinez tentou o chute de primeira, da meia lua, mas pegou fraco, nas mãos de Álisson. Os Hermanos mais ousados. Equilíbrio.

- Aos 10’, Daniel e Gabriel Jesus abriram a defesa argentina pelo meio, Phillipe Coutinho pegou de frente, errou o alvo. Na sequência, blitze argentina e Messi acertou a trave de Álisson. Por pouco não saiu o empate.

- Di Maria no lugar de Acuña. Mais futebol em campo. Jogão de bola! Aos 15’, Marquinhos sentiu a perna e deu lugar ao veterano Miranda. Nos contragolpes, o time brasileiro ataca com poucos. Lo Celso no lugar de Le Paul do lado de lá.

- Os argentinos nos empurram pra trás... cadê o contragolpe? Cebolinha?

- Gol ! 2 x 0 Brasil. Firmino, completando na pequena área uma ótima arrancada pelo meio de Gabriel Jesus, rompendo a marcação, aos 27 minutos.

- Os Hermanos perdem a cabeça, pra variar, começam a apelar. Nada de entrar na pilha deles.

- Aos 34’, saiu Gabriel Jesus, muito bem na partida, sentindo algo; entrou o meia Allan, mais marcação, mas perdemos uma boa saída em contragolpe. Aos 36’, William sentiu músculo e caiu pedindo substituição. Todas as trocas permitidas foram feitas, então o Brasil fica praticamente com um a menos em campo.

- Dramático final. Os argentinos tentam de todas as formas, usam de manhas e muita raça. A turma de Tite prece tranquila, com o jogo na mão, sob controle.

Brasileiros eufóricos em campo com o apito final, alguns atletas argentinos choram. Placar justo.

*

Destaques

Melhor em campo, melhor partida com a camisa da seleção faz tempo : Daniel Alves. Simplesmente arrebentou. Gabriel Jesus decisivo. Miolo de zaga seguro, grande exibição de Artur. No mais, todos bem, há de reconhecer, belo trabalho de Tite.

Do lado argentino, Aguero apareceu mais que Messi, lutou mais.

*

Equipes:

Brasil – Álisson, Daniel Alves, Tiago Silva, Marquinhos e Alec Sandro; Cassemiro, Artur, Phillipe Coutinho; Gabriel Jesus, Firmino e Éverton, o ‘Cebolinha’. Tite no comando.

Argentina - Armani, Foyth, Pezzella, Otamendi e Tagliafico; De Paul, Paredes, Acuña e Messi; L.Martinez e Aguero. Treinador, Lionel Scaloni.

- Arbitragem equatoriana, com Roddy Zambrano no apito.

 

*

Nesta quarta

Chile x Peru (azarão?) na Arena Grêmio, 21h30.

Quem vencer é o adversário do/a na final.

 

**

MUNDIAL FEMININO

- As moças norte-americanas estão na final da Copa que acontece na França. Aliás, a quinta final da equipe feminina dos EUA em oito copas disputadas. As americanas são tri-campeãs do mundo.

- Num jogo de boa técnica, alta intensidade, aplicação tática e exuberante estado atlético, de parte a parte, os EUA venceram a Inglaterra (2 x 1) na tarde dessa terça, em Lion.

- Em jogadas bem tramadas, rápidas, cruzamentos de fundo para finalizações na linha da pequena área. Aos 9’, Press abriu o placar para os EUA, que começou em cima. Mas num contragolpe, as inglesas empataram aos 18’: White completando de prima um cruzamento da direita.

- O segundo tempo teve de tudo: Gol anulado das inglêsas, com a deduragem do VAR; pênalti marcado para a Inglaterra aos 35’, também com a peruagem do VAR. Aí, a capitã inglêsa bateu a penalidade e a goleira Nahler catou; entradas duras e a expulsão da zagueira europeia.

Arbitragem brasileira, segura, com a paranaense Edina Batista no apito.

- Sem reparos, placar justo e é merecida a final com a presença das norte-americanas. Jogam bem, bom coletivo, tático, aplicação e força física, velocidade.

- As adversárias dos EUA na final sai do duelo, nesta quarta, mesmo horário (16h), entres as seleções da Suécia x Holanda, surpresas. Loiras no comando.

*

E nós, muié ?

- Depois de ver os times dos EUA, Inglaterra, Suécia, Holanda correndo em campo entendemos que a nossa seleção feminina, comandada por Vadão, chegou mais do que podia. Estamos longe do preparo atlético e coletivo delas. Outro patamar. Hora de renovação total. Métodos, comandos, atletas/talentos. Planejamento !

**

Que os Caboclos da Bahia nos protejam, nos guiem nesse guerrear de vida.

 

**