Literatura e Futebol em debate na Flipelô

         



Por Zédejesusbarreto
Mais que um jogo onde 22 pessoas correm pra lá e pra cá atrás de uma bola, disputando-a a chutes e cabeçadas, o futebol é cultura humana. Chega a arte no campo de jogo, quando a bola é tratada pelos pés de um Pelé, Garrincha, Maradona, Messi, Neymar ... Mais que um jogo coletivo genial e absurdamente imprevisível, o futebol envolve paixão, congrega multidões, é encantamento, um esporte enfim que faz parte da História humana. O que seria da humanidade sem a bola? 

Esse jogo de bola chamado de futebol é hoje algo tão intenso e grandioso que ocupa um espaço significativo no mundo das comunicações, da mídia, dos negócios, do fazer, das manifestações artísticas. Inspira poetas, motiva pintores, provoca coreografias, sobe tablados, rende filmes, peças de teatro, pinturas, estátuas, sonhos, delírios... e escritos. Mais que registros, artigos e reportagens, o futebol tem motivado também uma boa literatura, mundo afora. No Brasil, na Bahia também.
Esse tema, fascinante, “Literatura e Futebol’ será o mote da mesa de debates que acontecerá na FLIPELô – Feira Literária do Pelourinho, no dia 10, sábado, às 18 horas, no espaço do Museu Eugênio Teixeira Leal/ Terreiro de Jesus.
Os debatedores
Na mesa, três amantes da bola, do futebol, amigos e estudiosos do assunto. Um deles, Antônio Matos – radialista, jornalista, bacharel em Direito, delegado de Polícia e escritor. Matos lançou este ano (2019) o livro “Heróis de 59 – A história do primeiro título brasileiro conquistado pelo Esporte Clube Bahia”, Solisluna Editora. Apuro jornalístico, texto primoroso. O lançamento, na Fonte Nova, foi um evento concorrido com a presença de atletas, dirigentes do clube, profissionais da área e amigos da bola.
A bola une, congrega.
Outro mestre, presente, é o radialista e jornalista – há mais de 50 anos – Jorge SanMartin, que quando repórter esportivo em ação foi batizado como o Super San, não só pelo seu tamanho mas sobretudo pela grandeza de seu trabalho nos microfones das rádios baianas, cobrindo quatro copas do mundo. Em 2016, também pela Solisluna Editora, Sanmartin lançou o livro “Jorge Sanmartin, O fantástico Mundo da bola / Super San, 50 anos de jornalismo”, uma aguçada narrativa de lances da história do futebol na Bahia. Personagens e fatos curiosos. Indispensável.
Ao lado desses verdadeiros mestres do mundo da bola, estará o jornalista, também radialista e escrevinhador José de Jesus Barreto (o zedejesusbarreto), atualmente colunista de esporte, especialmente o futebol, no site ‘bahiaja’; a bola, o futebol como paixão de vida, desde menino. É autor de dois livros, no prelo, a sair também pela Solisluna Editora: um sobre a bola, voltado para o público infanto-juvenil; e outro contando a história do Bahia, focando a torcida jovem do clube.
O papo vai ser bom. Anime-se, apareça!