TECNOLOGIA É NOVA ALIADA NA SEGURANÇA DOS CONDOMÍNIOS

         



Por Joaquim Venancio
Os recentes episódios envolvendo uma quadrilha que usava aplicativos de hospedagem para entrar em condomínios e furtar as unidades acendeu nos últimos dias um debate sobre a insegurança que esse tipo de tecnologia pode causar. Em muitos casos, chegou-se a falar na proibição da locação por esse tipo de plataforma e já há pesquisas que corroboram com isso. 

Um levantamento realizado pela Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (Aabic) indicou que 64% dos empreendimentos que levaram o assunto para assembleia acabaram proibindo a prática, ato que fere o direito de propriedade, constante na nossa legislação. Nós aqui na Noknox, entendemos que o aluguel por temporada é fundamental para o mercado, que por sua vez, também é feito por aplicativos. 

Porém, entendo que, apesar da preocupação ser legítima, evitar o uso de aplicativos para aluguel não resolve o problema de segurança. Então, por que não usar soluções de tecnologia para ajudar a melhorar a integração de aplicativos de hospedagem, resolvendo a questão? Essas soluções podem ser a chave para combater a causa sem precisar, necessariamente, vetar a utilização de uma tecnologia que populariza o aluguel de residências para temporada, além de gerar renda importante para muitos brasileiros que dela dependem. 

Fechaduras digitais, apps de autorização de entrada e saída de moradores, contato estreito e troca de informações quase em tempo real entre síndicos, zeladores e condôminos, reconhecimento facial e armazenamento de informações de entrada e saída dos moradores são alguns exemplos de práticas que podem ser aliadas para a melhora na defesa desses locais por possíveis invasores. 

Além de sistemas como esses, que permitem a autorização e inteligência no fluxo de pessoas e informações, os edifícios residenciais também podem usufruir de sistemas de proteção em si, cada vez mais modernos, com monitoramento 24 horas, câmeras e alarmes inteligentes, por exemplo. Economicamente falando, iniciativas como as citadas até aqui evitam perdas de, em média, 1,5 % do total do faturamento anual dos condomínios no Brasil, além de diminuir gastos com a manutenção em si durante o ano inteiro. 

Em resumo, bem como todos os setores em que a tecnologia se faz presente de forma inovadora, é preciso avaliar prós e contras e pensar em adaptações para adequar-se a ela. Proibir plataformas de hospedagem não leva a resolução da principal questão. Usar a própria tecnologia para melhorar a vida e a segurança em condomínio pode ser sim o melhor caminho para garantir o bem-estar dos condôminos. 
-----------------------------------------------------------------
*Joaquim Venancio é CEO e fundador da Noknox, uma plataforma que tem como objetivo conectar pessoas aosseus lares e locais de trabalho unindo praticidade, segurança e conforto.