FLAMENGO E RIVER PLATE DISPUTAM TÍTULO DE O MELHOR DAS AMÉRICAS

         



Por Zedejesusbarreto
Um Brasil x Argentina, em jogo único, dia 23 de novembro, em Santiago do Chile, será a decisão da Copa Libertadores de América/2019, com as duas melhores e mais bem treinadas equipes da América do Sul em campo: Flamengo x River.

A dúvida é o local da partida, já que o Chile está em convulsão, com protestos de rua e enfrentamentos violentos entre manifestantes e forças policiais/militares repressoras. Santiago tem vivido dias de fogo e pancadarias, já com mortos nos confrontos. Será que as ruas se acalmam até lá?

No mais, a bola !

*

O Flamengo arrasou com o Grêmio no Maracanã, um 5 x 0 incontestável e inesperado pelo mais fanático dos rubro-negros. E venceu porque tem uma equipe superior, coletiva e individualmente. O talento do jogador em campo decide. E no banco tem um treinador que arrumou o time, pôs para jogar um futebol solidário, simples, de ritmo intenso todo tempo e objetivo: o português de nome Jesus (Jorge Jesus), que engoliu sem dó o empavonado Renato Gaúcho. Quatro gols e um show na segunda etapa.

Trinta e oito anos depois o Rubro-negro carioca volta a decidir uma Libertadores. E tem time e bola para vencer. É o elenco mais caro e mais qualificado, em tese, do continente. Senão, vejamos:

Um goleiro seguro, de seleção, com bagagem internacional; dois laterais de seleção, vindos de equipes de ponta da Europa (Rafinha, do Bayern e Luiz Phillipe do Atlético de Madri); um incansável apoiador, Arão, que chega bem no ataque; trouxe de volta do futebol europeu o jovem meia Gerson, que encaixou e já merece ser titular da seleção de Tite; Everton Ribeiro na melhor fase da carreira; o meia uruguaio Arrascaeta e dois atacantes em fase inspirada: o lépido e forte Bruno Henrique, chutador, cabeceador e Gabigol, marrento mas eficiente, sobretudo com a potente canhota.

Não torço pelo Flamengo, mas sejamos claros: é um timaço. E bem treinado. Voou sobre o Grêmio, o ‘poderoso’ Tricolor Gaúcho. Passou por cima, atropelou.

PS: - O Grêmio vive ofensivamente de lampejos de Cebolinha, mas Cebolinha não amarraria a chuteira de Naldinho (rsrsrs). Lembra do Naldinho do Bahia?

*

A camisa do rival

O adversário da final, o River Plate da Argentina não será um adversário fácil. Primeiro, pela tradição, pela camisa, pelos títulos, pela rivalidade. Sempre chegando nas finais da Libertadores, disputando títulos argentinos. É uma equipe jovem e que ‘pelea’, corre muito, disputa o jogo. Depois, pelo ótimo treinador, o ex-jogador Gallardo, que sabe tudo de bola e tem feito um trabalho renovador e surpreendente no River, faz tempo.

O River é um time arrumado coletivamente, que se defende bem e tem um contragolpe rápido, objetivo. Mostrou isso detonando o Boca Juniors na semifinal de ‘hermanos’; venceu em casa (2 x 0) e suportou a pressão do La Bombonera (0 x 1).

A decisão Flamengo x River vai ser um jogão de bola !

**