Geraldo Júnior será líder de bloco formado por MDB, PTB, PSC e SD

         



Os partidos MDB, PTB, PSC e SD se uniram e vão formar um bloco independente com vistas às eleições municipais de 2020. O presidente da Câmara Municipal de Salvador, Geraldo Junior (SD), será porta-voz do movimento. Os presidentes do MDB-BA, Alex Futuca; do PTB, Benito Gama; do SD, Luciano Araújo; e do PSC, Heber Santana, convidaram a imprensa para uma coletiva ontem, no restaurante Barbacoa, em Salvador, e fizeram o anúncio.

"Queremos organizar o grupo para a eleição de vereadores para a eleição de 2020 e 2022. Estamos aqui entregando a coordenação para Geraldo. Com relação à majoritária ainda não discutimos nada. É um momento político importante, a eleição já começou. Todo partido quer ser um ator importante na eleição", destacou Benito Gama no evento.

Luciano Araújo destacou que a nova lei eleitoral não permite coligações e que a parceria não será apenas para a eleição de 2020, mas para futuras eleições. "Para mim é uma felicidade estar participando hoje da reunião ao lado de bons amigos do MDB, do PSC e também do PTB. E uma felicidade também pelo fato de Geraldo ser escolhido como porta-voz desse grupo", avaliou. Segundo ele, outros três partidos também poderão integrar o bloco.

O presidente do SD comentou ainda os rumores de que Geraldo deixará a sigla. "A questão de Geraldo é uma questão muito pessoal dele. Ele que vai pensar e decidir a vida dele. Em nada altera o nosso relacionamento. Independente de ele estar no Solidariedade, a gente tem uma amizade lá atrás. Ele veio para o partido por conta da nossa amizade lá atrás".

Heber Santana, presidente do PSC, disse que o objetivo da união do grupo é mesmo a dificuldade que a nova lei eleitoral impõe para que as siglas consigam eleger vereadores sem a coligação na chapa proporcional. "A política você vai, dentro do seu campo de afinidades, pensar juntos. É isso que estamos construindo aqui. É um grupo de pessoas com afinidades, ideias semelhantes para Salvador e outros municípios da Bahia, e a nossa ideia é que a gente vá conversando juntos, pensando nas melhores estratégias de contribuir para a população de cada município." Já Alex Futuca afirma que os quatro partidos são atuantes na cidade, com fundo partidário e tempo de televisão, e que a aliança fortalece ainda mais as legendas. "Geraldo é presidente da Câmara, é um poder importante na cidade, é um cara que tem um link direto com os três poderes", avaliou, negando, no entanto, se ele é pré-candidato a prefeito de Salvador pelo grupo. Geraldo, por sua vez, avaliou que a reunião é uma "consolidação do projeto para Salvador" e

que terá "efeito de continuidade para 2022". "Recebi hoje com muita alegria o reconhecimento desses quatro partidos estabelecendo a minha pessoa como porta-voz do grupo perante as decisões da cidade do Salvador. O rumo que esses partidos irão tomar nas próximas eleições", avaliou.

Indagado se ainda é pré-candidato a prefeito de Salvador, o presidente da Câmara sinalizou positivamente. "Com certeza. Fica mais claro. As coisas começam a se clarear. Falei que não posso ser candidato de mim mesmo, sem ter partidos e lideranças políticas que me ajudem nesse processo", disse o edil, garantindo ainda que continuará no Solidariedade. O grupo não descarta ir para a base de Rui Costa (PT) e nem confirma aliança com o provável candidato do grupo de ACM Neto (DEM), Bruno Reis. "Esse é o sentimento do bloco. Vamos conversar com todos. A nossa ideia é a construção de um projeto político novo para a cidade. O que nós queremos é respeitabilidade, queremos ser ouvidos".
*Tribuna