Vereador diz que as decisões de Bolsonaro aumentam a impunidade no país

         



“Domínio sobre economia, história geral e do Brasil, conhecimento antropológico, interlocutor dos partidos de esquerda da América Latina, conhece as leis do país e tem coerência. Chega a ser acintosa a diferença de debates entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o atual Jair Messias Bolsonaro”. Foram com essas palavras que o vereador Luiz Carlos Suíca (PT) comparou os discursos do atual presidente da República com o do petista. Segundo ele, a diferença é “grotesca” e “o engajamento social de um não se compara com o outro”. Na quinta-feira (28), Suíca reafirmou que a luta do Partido do Trabalhadores e dos movimentos sociais e sindicais “é eleger um governo federal popular o quanto antes”.

Suíca disse ter acompanhado as medidas do governo de Bolsonaro e critica os ataques contra os movimentos socais e organizações de direitos humanos no país. Na Bahia, o recente despejo de famílias sem-terra em Casa Nova e Juazeiro foi, segundo Suíca, ação de milícia particular com auxílio das polícias Federal e Militar, com a determinação de Bolsonaro. “O presidente vai enviar projeto ao Congresso Nacional pedindo autorização para que nas reintegrações de áreas rurais as forças policiais atuem sem que o governo estadual saiba ou participe. Isso já está acontecendo, não precisa mais enviar projeto algum”, critica.

O vereador salienta ainda que as decisões de Bolsonaro só aumentam a impunidade no país. Ele critica a “ostentação a armas com a criação de partido com essa bandeira” e diz que o aumento do genocídio negro foi acentuado. “Mataram uma liderança a paulada no Rio dos Macacos aqui em Salvador, na madrugada de terça. Mataram Moa, mataram o artista e pai de família no Rio de Janeiro com oitenta tiros, e matam todos os dias. Não podemos reconhecer um governo com o pé nas milícias. Isso está indo longe demais e o povo precisa colocar um freio. Bolsonaro não tem condições emocionais, não tem conhecimento e muito menos sabe o que é política, ele acha que é torcida de futebol, basta escolher um e torcer”, finaliza.