MERGULHOS EM PRAIAS E PISCINAS PODEM CAUSAR LESÕES GRAVES NA COLUNA

         



Rios, praias, cachoeiras e piscinas estão entre as opções de lazer mais procuradas durante o verão. Além do banho para refrescar o corpo, também são comuns os saltos e mergulhos, que quando feitos em águas rasas, podem causar traumas graves na coluna cervical, levando a paraplegia ou a tetraplegia.

“Esse tipo de lesão é mais frequente em adolescentes e jovens. Muitas vezes, embalados pela empolgação, eles mergulham, “de cabeça”, sem fazer uma avaliação prévia da profundidade do local e terminam se lesionando, contraindo fratura e luxação na região cervical”, explica o médico ortopedista e especialista em Clínica da Dor, Marcio Santana.

A depender do grau da lesão, a pessoa pode ficar paraplégica, tendo a perda total das funções motoras dos membros inferiores, ou tetraplégica, perdendo totalmente as funções motoras dos membros inferiores e superiores.

Outro alerta importante é para o salto, em águas rasas, na posição vertical, que favorece a ocorrência de fraturas no calcanhar, tornozelo, joelho, bacia e coluna lombar.

Cuidados ao mergulhar
O especialista ainda chama atenção para os cuidados que devem ser tomados para evitar lesões durante a diversão em ambientes aquáticos.
Avaliar a profundidade e condições do local, antes de fazer qualquer tipo de salto ou mergulho, estão entre as principais ações de prevenção. Ao mergulhar, ainda é recomendado estender os braços ao lado da cabeça para protegê-la.

“Também é importante evitar saltar de cabeça e ficar atento com mergulhos em beiradas de piscinas, trampolins e afins”, ressalta Marcio Santana.
Outra dica é evitar bebidas alcoólicas e alimentos pesados antes de mergulhar, além de brincadeiras quando estiver nadando ou mergulhando.