DEPUTADO QUER INSTITUIR A POLÍTICA ESTADUAL DE DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA DEPRESSÃO

         



Doença psiquiátrica crônica caracterizada por tristeza profunda e forte sentimento de desesperança, a depressão atinge cerca de 2 milhões e brasileiros, por ano, e cerca de 15,5% da população brasileira. Para tratar e prevenir a enfermidade, o deputado estadual Dr. David Rios apresentou Projeto de Lei para instituir, nas redes públicas de saúde da Bahia, a Política Estadual de Diagnóstico e Tratamento da Síndrome da Depressão.

O parlamentar incluiu como depressão distúrbios psicológicos como depressão bipolar, depressão atípica, depressão sazonal, depressão pós-parto, depressão psicótica e distimia. “A depressão é uma das maiores doenças do mundo moderno e vem crescendo a cada ano. Ela precisa ser tratada como um caso de saúde pública, pois, em muitos casos, leva ao suicídio”, observou Dr. David Rios.

O tratamento da depressão geralmente inclui medicamentos, psicoterapia ou uma combinação dos dois. Cada vez mais, as pesquisas sugerem que esses tratamentos podem normalizar alterações cerebrais associadas à depressão.

 

SAIBAM MAIS SOBRE A DEPRESSÃO:

 

Causas:



1. Genética: estudos com famílias, gêmeos e adotados indicam a existência de um componente genético. Estima-se que esse componente represente 40% da suscetibilidade para desenvolver depressão;

2. Bioquímica cerebral: há evidencias de deficiência de substancias cerebrais, chamadas neurotransmissores. São eles Noradrenalina, Serotonina e Dopamina que estão envolvidos na regulação da atividade motora, do apetite, do sono e do humor

3. Eventos vitais: eventos estressantes podem desencadear episódios depressivos naqueles que tem uma predisposição genética a desenvolver a doença.

Sintomas:

 

  1. Humor depressivo: sensação de tristeza, autodesvalorização e sentimento de culpa. Acreditam que perderam, de forma irreversível, a capacidade de sentir prazer ou alegria. Tudo parece vazio, o mundo é visto sem cores, sem matizes de alegria. Muitos se mostram mais apáticos do que tristes, referindo “sentimento de falta de sentimento”. Julgam-se um peso para os familiares e amigos, invocam a morte como forma de alívio para si e familiares. Fazem avaliação negativa acerca de si mesmo, do mundo e do futuro Percebem as dificuldades como intransponíveis, tendo o desejo de por fim a um estado penoso. Os pensamentos suicidas variam desde o desejo de estar morto até planos detalhados de se matar. Esses pensamentos devem ser sistematicamente investigados.

 

  1. Retardo motor, falta de energia, preguiça ou cansaço excessivo, lentificação do pensamento, falta de concentração, queixas de falta de memória, de vontade e de iniciativa;

  2. Insônia ou sonolência. A insônia geralmente é intermediária ou terminal. A sonolência está mais associada à depressão chamada Atípica;

 

  1. Apetite: geralmente diminuído, podendo ocorrer em algumas formas de depressão aumento do apetite, com maior interesse por carbohidratos e doces;

 

  1. Redução do interesse sexual;

 

  1. Dores e sintomas físicos difusos como mal estar, cansaço, queixas digestivas, dor no peito, taquicardia, sudorese.