Marcelinho Veiga diz que falta de empatia de Bolsonaro pode levar o país a uma catástrofe

         



Os pronunciamentos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) têm elevado a tensão política no país, além de panelaços por todo o país contra suas medidas diante da pandemia de coronavírus. Na noite desta terça-feira (24), mais uma ‘aparição’ do gestor causou a revolta de milhões de pessoas em diferentes setores da sociedade. O deputado estadual Marcelinho Veiga (PSB), por exemplo, não poupou críticas e disse que o presidente está “na contra mão do combate à Covid-19”. Segundo o parlamentar, o pedido de Bolsonaro para reabrir escolas, comércio e acabar com o isolamento é “irresponsável”.

 

“Foi um dos piores pronunciamentos de Bolsonaro, um desastre. Demonstrou, sem máscara, qual é seu papel na presidência da República. Seu dever não é com o povo e sim com a economia, com os empresários. Ele minimiza a quantidade de mortos e isola os idosos como pessoas descartáveis, mas defende o sistema em pleno funcionamento. A falta de empatia de Bolsonaro pode levar o país a uma catástrofe. O governo dele não tem tratada a questão com a atenção que merece, são mais de 18 mil mortos. Deveria ser acusado de homicídio culposo, além de mentiroso é arrogante e lhe falta conhecimento e inteligência”, dispara Marcelinho Veiga.

 

O deputado do PSB ainda disse que o presidente tenta manipular a opinião pública com informações falsas e defende a utilização de um medicamento que ainda nem foi testado direito, e que já matou pessoas nos Estados Unidos. Marcelinho se refere ao hidroxicloroquina e à cloroquina. O parlamentar também questiona a relação de Bolsonaro com a imprensa. “Não adianta ficar com essa guerra velada com a mídia. O presidente esconde que é positivo para corona e sente raiva quando é questionado, não admite que é o primeiro presidente com o vírus. São 23 infectados na sua comitiva que foi aos EUA. Mas ele e a esposa não estão. É uma situação vexatória”, completa.