Coronavírus: Mandetta alinha tom com Bolsonaro e chama coronavírus de ´virose`

         



No mesmo dia em que o presidente Jair Bolsonaro afirmou que irá minimizar regras de isolamento no país determinadas pelo Ministério da Saúde, o ministro da pasta, Luiz Henrique Mandetta, abriu coletiva sobre coronavírus com tom mais positivo e chegou a falar em virose para se referir à doença.

Ele enfatizou que a proporção calculada de letalidade vai diminuir com a aplicação dos testes rápidos que o governo vai comprar. Isso porque, com mais gente diagnosticada, o percentual de mortos em relação ao total de casos confirmados cairá.

“A letalidade, que é quantos por cento, vai ficar menos que 2,4. Isso vai ser mais um elemento para que própria população possa gradativamente entender a dinâmica dessa virose em nossa sociedade.”

Ele também destacou, em alinhamento com o discurso de Bolsonaro, que vem falando que outros vírus matam mais que o corona, que outras doenças preocupam, ao afirmar que é preciso vacinar os idosos para gripe a fim de que não adoeçam. Ele reforçou medidas como higiene das mãos, dizendo que as pessoas esquecem disso porque estão preocupadas com o noticiário — outro alvo do presidente nos últimos dias.

“Os vírus, como h1n1 e influenza, levam tanto quanto ou muito mais pessoas para o CTI (centro de internação intensiva) do que o corona nesse momento dentro do Brasil. A gente sabe que ele concorre demais por esses leitos”, disse Mandetta.

“Qualquer pessoa resfriada, gripada, evite o contato com outras pessoas. Mantenham a higiene das mãos, às vezes estão tão preocupados com notícia, com noticiário, que esquecem de lavar as mãos, o rosto, proteger as pessoas de mais idade.”

NÚMERO DE CASOS NO BRASIL
O Ministério da Saúde atualizou para 57 o número de mortes confirmadas em decorrência do novo coronavírus no Brasil. O número de casos confirmados também subiu, chegando a 2.433, nos 27 estados da federação.

Até terça, eram 46 o número de mortes e 2.201 casos confirmados da Covid-19 no país.

Confira a tabela abaixo com todos os casos:
São Paulo: 862 casos - 48 mortes (5,6%)

Rio de Janeiro: 370 casos - 6 mortes (1,6%)

Ceará: 200 casos

Distrito Federal: 160 casos

Minas Gerais: 133 casos

Rio Grande do Sul: 123 casos - 1 morte (0,8%)

Santa Catarina: 109 casos

Bahia: 84 casos

Paraná: 81 casos

Amazonas: 54 casos - 1 morte (2%)

Pernambuco: 46 casos - 1 morte (2,2%)

Espírito Santo: 39 casos

Goiás: 29 casos

Mato Grosso do Sul: 24 casos

Acre: 23 casos

Sergipe: 16 casos

Rio Grande do Norte: 14 casos

Alagoas: 11 casos

Roraima, Maranhão, Piauí e Mato Grosso: 8 casos

Tocantins e Pará: 7 casos

Rondônia: 5 casos

Paraíba: 3 casos

Amapá: 1 caso
*Do Yahoo