Joseildo pede CPMI para investigar descaso no Ministério da Saúde e chama ministro de "charlatão"

         



O deputado federal Joseildo Ramos (PT) criticou durante sessão da Câmara nesta quarta-feira (29) a atuação do Ministério da Saúde durante a pandemia do coronavírus. Com base em relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) divulgado na última segunda-feira, o parlamentar alertou sobre o desabastecimento de medicamentos essenciais nos estados em municípios e atacou o governo e o ministro da Saúde pelos esvaziamento e abandono do Centro de Operações de Emergência de Saúde Pública.

O relatório do TCU aponta que foram distribuídos mais de 4 milhões de comprimidos de cloroquina, medicamento que até o momento não possui eficácia comprovada contra o novo coronavírus, e outros 4 milhões permanecem no estoque. A superprodução da droga acontece ao tempo em que o Centro de Operações de Emergência, em reunião realizada no mês de maio, dava os primeiros alertas sobre o desabastecimento de outros 267 insumos e medicamentos utilizados na UTI.

“Isso comprova o charlatanismo, a brincadeira com a pandemia, o crime com a saúde pública. Gente morrendo porque não pode ser entubada. Querem prova maior de que nós precisamos aprofundar uma CPMI pelo que crime que está se cometendo com um charlatão interino e subserviente ao presidente Bolsonaro. É preciso parar de matar nosso povo”, criticou.