Veterinária: uma das profissões que mais cresce no Brasil, também evolui a passos largos na Bahia

         



O ramo da Veterinária é um mercado cada vez promissor, em função da sua extrema importância para o bem-estar, saúde e vida dos animais, especialmente os de estimação, que, segundo a atual tendência, são considerados verdadeiros filhos de seus tutores. O Médico Veterinário tem se tornado uma das profissões mais valorizadas e solicitadas na Bahia, especialmente em Salvador. Segundo o Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV-BA.), existem 5.5781 médicos veterinários. Desses, 3.202 são homens e 2.580 mulheres.

Na área, são 7.700 empresas registradas na Autarquia, metade dirigida por mulheres. O mercado, que já abrange cerca de 0,4% do PIB nacional, ocupa o quarto lugar no mundo em população de animais de estimação. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), a região Nordeste representa 21,4% da população pet no país. O Estado mais populoso é a Bahia, com 5,9% da população pet total.

Diante desses expressivos números, a profissão de Medicina Veterinária, comemorada no dia 09 de setembro e que requer, em média, 05 anos de graduação, vem evoluindo a passos largos e, hoje, já se é possível buscar por atendimentos especializados para que os pets tenham o melhor atendimento possível.

 

Especialidades Veterinárias

Antigamente, tínhamos a cultura do clínico geral, onde o mesmo profissional atendia todas as mais diversas queixas e instituía os mais variados tratamentos. Mas, se pensarmos como na Medicina Humana, onde, numa situação de emergência, vamos para o clínico geral, mas se possuo queixas específicas, por que não já ir direto para o profissional especialista? “O caminho para se tornar um Médico Veterinário especializado em determinado atendimento é longo e precisa ser valorizado. Todo bom especialista precisa ser, antes de tudo, um excelente clínico geral, pois o sistema a que o mesmo se dedica a estudar faz parte de um contexto completo”, assegura a Médica Veterinária Miucha Furtado, sócia da Clínica AMA Pets, na Federação.

A especialista explica que os avanços são enormes e, tanto na atuação de tratamento tradicionais – como Oncologia e Neurologia, quanto em tratamentos alternativos, como a Acupuntura e a Homeopatia, a Medicina Veterinária conta, cada vez mais, com ferramentas para ajudar a promover a saúde de cães, gatos e silvestres.

Inicialmente, o período de formação na faculdade é de, no mínimo 5 anos. Então, após a formação, o (a) profissional, já capacitado (a), decide pelo próximo passo: mestrado, residência ou pós - graduação. Esse período vai variar de acordo com a escolha acima.

Na Medicina Veterinária, já existem as seguintes especialidades: Dermatologia, Oftalmologia, Neurologia, Gastroenterologia, Cardiologia, Nutrologia, Ortopedia, Fisioterapia, Endocrinologia, Atendimento Especializado em Felinos, Hematologia, Nefrologia, Odontologia e Atendimento Especializado em Animais Silvestres.

“O que orientamos é: tenha um clínico geral de confiança para ter sempre um senso de orientação, mas preste atenção na sintomatologia que o seu pet apresenta e direcione o atendimento dele”, enfatiza a Dra. Miucha Furtado.