Fotógrafo Valter Lessa vai abrir Museu da Fotografia da Bahia

         



Um dos pioneiros do fotojornalismo na Bahia, o fotógrafo Valter Lessa, de 88 anos, está empenhado há mais de 10 anos em criar o Museu da Fotografia da Bahia. O projeto já possui cerca de 70 itens e aguarda apenas o fim da pandemia da Covid-19 para contatar as autoridades para obter o apoio necessário para viabilizar o museu.

Lessa mantém contatos constantes com os companheiros da Bahia e de outros estados, como Sérgio Jorge, que é um dos melhores fotógrafos do Brasil, ganhador do primeiro Prêmio Esso de Jornalismo, na categoria Fotografia, em 1961. Sérgio está enviando parte de seu acervo para o museu. Além disso, há também o famoso fotógrafo Evandro Teixeira, que já tem algumas de suas fotos expostas nos principais museus do mundo. Ele já remeteu para o museu vários de seus equipamentos.

Com passagem pelo Grupo A TARDE, Lessa tem um acervo em torno de 80 mil fotografias. Ele já registrou a presença dos Reis da Bélgica, Rei Balduíno e Rainha Fabíola em 1965; do presidente Getúlio Vargas, em 1952; do presidente de Portugal Francisco Craveiro Lopes, em 1957; do senador Bobby Kennedy, em 1965; do presidente do Chile Eduardo Frei, em 1962.

Além disso, o fotógrafo foi um dos primeiros a divulgar Salvador na Europa, através da Revista Svet V obrazech de Praga, na Tchecoslováquia, em 1960.

Atualmente, o museu já conta com cerca de 70 itens, entre eles: câmaras, lentes, filtros, secadeiras, ampliadores, fotômetros, tripés, assim como fotografias antigas da cidade e de personalidades. O material está acondicionado em um dos cômodos de seu apartamento.
Do A Tarde