NUM JOGUINHO INFAME, O BAHIA ARRANCOU EMPATE CONTRA LANTERNA

         



Por Zedejesusbarreto
Triste espetáculo, pela má qualidade técnica do jogo em campo e pela confusão no final em função de uma arbitragem desastrosa, atrapalhada. 

O Bahia, no ‘baba’ de várzea contra o Goiás, último colocado na tabela de classificação, conseguiu um empate aos 49 minutos, num chute de Fessim da entrada da área, quando já atuava com um atleta a menos, após a expulsão de Élber, por volta dos 30 minutos da segunda etapa.
Menos mal, porque com o empate o Tricolor chegou aos 16 pontos e saiu, ficou na porta mas do lado de fora da zona do horror. Mas, na abertura da 17ª rodada o time baiano enfrenta o Atlético (MG), líder e melhor equipe da competição. Se jogar como o fez na Serrinha pode levar uma balaiada em casa. Cruz credo !
*
Pré-jogo:
- Duelo de equipes em situação de risco na tabela de classificação: o Goiás na lanterna, com 9 pontos e o Bahia, com 15 pontos em 15 jogos, em 17º, já na zona de desclassificação. Das vezes que se enfrentaram em Goiânia, o Bahia venceu apenas em 2016, 2 x 0, valendo pela Série B. Geralmente rolam muitos gols nesses confrontos. Rivalidade e pressão dos dois lados.
- Ainda em busca de uma equipe-base e um jeito de jogar, Mano Menezes manteve o time que venceu o Vasco (3 x 0) e perdeu para o Fluminense (1 x 0). No Goiás, um treinador conhecido, Enderson Moreira, que esteve no Tricolor, como o meia Shaylon e o recém contratado Fernandão, aquele mesmo; mais o bom goleiro Tadeu, o veterano e malvado lateral Edílson e o goleador rodado Rafael Moura, e a estreia do bom apoiador Ariel Cabral.
*
Bola rolando
Estádio da Serrinha (Hailê Pinheiro), em Goiânia, tempo seco, 16ª rodada. Impressiona a quantidade de passes bobos errados, sobretudo do Bahia, desde o começo. Nesse quesito, fundamento, nenhuma evolução. O Verdão do centro-oeste tentando se impor em casa.
Aos 11’, em boa arrancada de Rossi pela direita, o cruzamento saiu rasante na pequena área, mas Gilberto não alcançou. Primeira jogada ofensiva baiana. Chegando mais pelos lados do campo, mas com pouca gente chegando na área para finalizar. Aos 20’, numa ratada feia de Capixaba, a bola sobrou limpa na grande área mas o ataque goiano não soube aproveitar a chance.
Fraca tecnicamente, a partida foi se arrastando com lances de várzea, lado a lado, sem acontecer nada, pobre de criatividade. Indigentes primeiros 45 minutos.
*
As equipes voltaram a campo, depois do intervalo, sem alterações. O Bahia recuado, com a defesa muito atrás, sem saída, sem força, aceitando a pressão do time da casa...
- Gol ! 1 x 0 Goiás. Shaylon caiu nas costas de Nino Paraíba, desmarcado, e cruzou forte e baixo, a zaga baiana não chegou e Vinícius escorou de carrinho na pequena área, abrindo o placar. Aos 5.
- Aos 12’, numa trama de ataque do Tricolor e Elias tentou, da entrada da grande área, por cima. O goleiro Tadeu não tinha feito uma só defesa até então. Mano trocou Clayson, que errou tudo que tentou, por Élber; Gilberto, apagado, por Saldanha. Aos 17’, na frente da pequena área, Elias recebeu, dominou e bateu, livre, por cima, perdendo a chance do empate. Aos 22’, Elber cruzou da esquerda, linha de fundo, e Elias testou para fora. Abusou de perder gols.
O Goiás todo fechadinho, satisfeito com o placar, segurando, e o Tricolor tentando, às tontas. Sem ter acertado uma só finalização no gol adversário. Saíram Daniel e Rossi (com cartão amarelo, depois foi expulso) e entraram Marco Antonio e Fessim.
Élber foi derrubado num contragolpe em velocidade, reclamou da arbitragem e foi expulso, aos 33 minutos. Revolta geral no banco tricolor. Aos 42’, Elias, depois de um rebote errado defensivo, ficou de cara e chutou muito mal, pra fora. Outra chance perdida. Aos 44’, Fessim foi claramente derrubado na área, o árbitro carioca foi ao VAR, fez que não viu e nada marcou.
Aos 46’, Capixaba bateu falta colocada e Tadeu fez uma plástica e sua primeira defesa. Daí, na base da vontade...
- Gol ! 1 x 1, aos 49’; Fessim acertou o canto de canhota, da entrada da área. Ufa ! Parecia perdido.
*
No final, muita confusão entre os do banco do Bahia e a arbitragem, com expulsões ... e sujeira. Mano Menezes, seu auxiliar e o treinador Enderson, do Goiás, expulsos. Mais Élber e Rossi. Pobre futebol, triste espetáculo !
*
Destaques negativos para o nível do jogo e da arbitragem, que não soube comandar o jogo. Elias, o veterano meia, perdeu quatro chances de gol inexplicáveis para um atleta de sua envergadura. Talvez, de positivo, o gol de Fessim. O time não tem padrão, não evoluiu nada.
*
Escalações
- Goiás : Tadeu, Edílson, David Duarte, Fábio Sanches e Caju; Ratinho (Salazar), Ariel Cabral (estreante) e Shaylon; Keko, Rafael Moura e Vinícius(Fernandão). Treinador, Ênderson Moreira.
- Bahia : Douglas, Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho e Capixaba; Gregore, Elias e Daniel (Marco Antonio); Rossi (Elber), Gilberto (Saldanha) e Clayson (Fessim). Treinador, Mano Menezes.
Arbitragem carioca, com VAR. No apito, Rodrigo Carvalhaes de Miranda. Caseiro, fraco, sem autoridade, confuso.
**
- Na sequência, o Bahia joga em Salvador contra o líder Atlético Mineiro, partida marcada para segunda-feira à noite, 20h.
**
- Neste sábado, pela Série B, o Vitória encara o Chapecoense, na Arena Condá, 16h. Com o novo treinador Barroca ainda ajustando as peças da equipe, o Leão vai a campo em crise e com a obrigação de vencer. Está em 13º lugar na tabela de classificação, com 18 pontos obtidos em 15 jogos. A crise é em função de salários atrasados no clube, para atletas e funcionários.
**

Foto: EC Bahia