Obra de Paulo Lima celebra Mês da Consciência Negra

         



O compositor baiano Paulo Costa Lima terá sua obra “Atotô do L’homme Armé, Op.39” apresentada pela Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA), sob regência do maestro Carlos Prazeres, no dia 5 de novembro, às 19 horas, através do projeto de vídeo-concerto Casa#Virtual, que retoma sua programação. Marcando o Mês da Consciência Negra, o projeto homenageia desta vez a música de matriz africana, destacando a herança afro que é tão estrutural e pulsante na música produzida na Bahia. O vídeo-concerto será exibido no Canal da Osba no YouTube(www.youtube.com/OSBAOrquestraSinfonicaDaBahia).

Antes disso, no dia 4 de novembro (quarta-feira, Paulo Costa Lima participa do simpósio nacional “Identidade Brasileira na Música de Concerto”, que será promovido pela Orquestra da Universidade de Campinas (Unicamp), com participação de nomes importantes da música brasileira, entre os quais os professores Dimitri Cervo, Ricardo Tacuchian, Lea Freire e o maestro Anderson Alves, sob mediação de Denise Hortência Garcia.

Apresentação na Rússia

A obra singular de Paulo Lima ganhou mais um destaque internacional ao integrar o repertório do concerto que aconteceu no dia 1o de novembro no Instituto de América Latina da Academia Russa de Ciências. O gesto que abre e sustenta a peça musical vem do campo da violência - a violência como ferramenta de afastamento de um certo ninho de possibilidades expressivas (o canto nordestino do aboio). A obra, executada por um trio de cordas, surgiu de um discurso original escrito para violoncelo solo. Segundo Paulo Lima, a composição ´´é um tanto tensa em sua linearidade, porém fiel ao campo expressivo que persegue, sua ideia motriz”.