Aeroporto de Salvador fomenta ações para representatividade e valorização da cultura afro

         



A representatividade e a valorização da cultura afro são o foco das ações promovidas pelo Salvador Bahia Airport durante o mês em que se celebra o Dia da Consciência Negra (20/11). Além de reforçar o Novembro Negro – considerado um dos principais movimentos relacionados à valorização da diversidade no Brasil, as iniciativas fazem parte dos esforços do Aeroporto para a promoção da igualdade de oportunidades.

 

Aeroportos são ambientes diversos por natureza, uma vez que recebem pessoas de diferentes origens, raças e religiões. E o Salvador Bahia Airport incorporou esse conceito também nas suas fronteiras internas, em alinhamento com os princípios estabelecidos pela VINCI Airports. O grupo tem como compromisso o combate a todas as formas de discriminação em suas unidades de negócios. E isso inclui promover ações de valorização da cultura negra, manter um quadro diverso de funcionários e realizar treinamentos de combate a vieses racistas. A rede VINCI Airports é uma equipe multicultural que representa 50 nacionalidades com aeroportos em doze países.

 

Além de ter um Comitê permanente para debater e implantar medidas em prol da diversidade, o Aeroporto de Salvador é signatário do Selo Diversidade Étnico – Racial, concedido pela Secretaria da Reparação da Prefeitura Municipal de Salvador a organizações que desenvolvem ações para promoção da igualdade racial.

 

“A construção de uma sociedade justa perpassa por diversas esferas, uma delas é considerar e colocar nos assuntos diários as questões étnico-raciais, ainda mais estando em Salvador, a capital mais afrocentrada do Brasil. É de extrema importância que a gente crie espaços para discutir o tema, a fim de chamar atenção para os processos discriminatórios que não podem mais ser praticados, além de valorizar a cultura de matriz africana. Não se pode seguir sem considerar a formação identitária da capital da Bahia”, frisou Daniela Franco, gerente de comunicação do Salvador Bahia Airport.

 

Para Daniela, essa identidade deve estar presente em todas as áreas, por meio da valorização de protagonistas e desenvolvimento de referências de liderança e empreendedorismo negro. O investimento em negócios conduzidos por afro-brasileiros é fundamental no processo de construção de uma sociedade mais igualitária.

 

Neste sentido, o aeroporto firmou parceria com a AFRO TV, startup que reúne talentos negros para produção de conteúdo audiovisual de qualidade que informa, inspira e empodera os negros brasileiros. O lançamento do projeto será no dia 27 de novembro e contará com a divulgação de mini vídeos sobre turismo afro na Bahia.

 

Uma prévia deste tema ocorreu, no dia 18, em uma live promovida pelo Aeroporto em parceria com a AFRO.TV sobre “o caminho para tornar a Bahia o maior destino negro da América Latina.” O evento foi mediado por Paulo Rogério Nunes, considerado um dos 100 negros mais influentes do mundo pela Most Influencial People of African Descent, e teve a participação de Julio Ribas, CEO do Salvador Bahia Airport, da atriz e influenciadora Maria Gal e do jornalista e criador do site Guia Negro Guilherme Soares.

 

Protagonismo
Já no terminal de passageiros, o aeroporto lançou a Exposição “Afroconexão”. Localizada em frente à Praça de Alimentação, a mostra traz o trabalho dos fotógrafos Hugo Martins e Regiane Rios, que retrataram em imagens símbolos da cultura afro que permeiam a cidade e o cotidiano das pessoas na Bahia. Além de fortalecer o protagonismo negro, a ação busca proporcionar uma experiência artística e educativa às pessoas que passam no terminal de passageiros.

 

Regiane Rios é curadora da exposição. Candomblecista, nordestina, mulher e negra, ela acredita que a fotografia é, sobretudo, uma ferramenta de reparação histórica e ativismo social para o povo negro. Esta convicção a conduz para uma identidade fotográfica essencialmente dirigida para narrativas humanizadas e afrocentradas.

As fotografias ficarão expostas no terminal de passageiros até meados de dezembro. Ao final da exposição, as imagens serão entregues às pessoas fotografadas como contrapartida social. O objetivo dos profissionais, que trabalham com fotografia humanizada, é ressignificar imagens de pessoas negras para elas mesmas.

 

Racismo estrutural
Para o público interno, o Salvador Bahia Airport estabeleceu uma programação voltada para informação e educação. No dia 20 de novembro, os funcionários participarão de um treinamento online sobre o racismo estrutural - sua origem, consequências e formas de combate. A condução é de Cléber Santos, integrante do Comitê de Diversidade. O grupo promove discussões e ações ao longo do ano voltadas para a promoção de um ambiente de trabalho inclusivo e acolhedor, com base nos valores da rede VINCI Airports.

 


Sobre a VINCI Airports
A VINCI Airports, como a maior operadora privada de aeroportos no mundo, administra o desenvolvimento e operação de 45 aeroportos localizados no Brasil, Camboja, Chile, Costa Rica, República Dominicana, França, Japão, Portugal, Sérvia Suécia, Reino Unido e Estados Unidos. Atendida por mais de 250 linhas aéreas, a rede VINCI Airports transportou mais de 255 milhões de passageiros em 2019.

 

Por meio de sua expertise como um integrador abrangente, a VINCI Airports desenvolve, financia, constrói e opera aeroportos, aproveitando sua capacidade de investimento e know-how para otimizar a gestão e o desempenho dos aeroportos e fazer ampliações e outras melhorias. Em 2019, sua receita anual para atividades geridas foi de 4,9 bilhões de euros e de 2,6 bilhões de euros para receita consolidada. Mais informações estão disponíveis em www.vinci-airports.com ou www.salvador-airport.com.br