LEÃO E MACACA EMPATAM NA TOCA

         



Por Zedejesusbarreto
Mais um empate em casa num joguinho com cara de amistoso, sem gols. Assim foi a disputa entre Vitória, o Leão baiano e a Ponte Preta, a Macaca de Campinas. Pior para o Rubro-negro baiano, que continua na parte de baixo da tabela, beirando a zona (em 15º lugar), mas agora mantendo a distância de cinco pontos acima do Náutico (tem 20 e é o 17º), que ainda joga na rodada.
A idéia que possa, vendo a equipe de Barroca atuar, é que os atletas já jogaram a toalha, nada mais almejam além de não cair para a Série C. O time perdeu a vibração, joga pro gasto. Será por conta de salários atrasados, também ?
*
- Os quatro primeiros colocados são : Chapecoense (44 pontos), Sampaio Correa (MA), América (MG) e Cuiabá com 37. Os quatro últimos: Náutico (20), Figueirense (19), Botafogo (18) e Oeste de Barueri na lanterna com apenas oito pontos ganhos.
*
Barradão
- O tempo limpou no fim da tarde, após a madrugada chuvosa em Salvador. 27 gaus.
- O Dia da Consciência Negra. Qualquer tipo de racismo é estúpido.
- Homenagens do Rubro-Negro ao seu ex-treinador Carlos Amadeu, baiano, figura querida no âmbito esportivo nacional, que faleceu precoce e recentemente, na Arábia Saudita.
Com a bola rolando ...
- A partida começou em banho maria, mas, aos poucos a Macaca foi se soltando, atuando mais próximo da área baiana.
Aos 13’, na primeira boa chance, após ratada da zaga rubro-negra, Camilo finalizou de frente, o chute saiu mascado, e Ronaldo salvou no canto, no reflexo, caído. Aos 19’, Apodi penetrou nas costas do miolo de zaga do Vitória, encobriu o goleiro Ronaldo que saiu fechando o ângulo, dificultando e, na tentativa de cortar a bola que ia em direção do gol, Rafael Carioca bateu de canela e quase fez contra.
A Ponte era melhor. Aos 27’, Bruno Rodrigues alçou da esquerda e Apodi, creiam, ganhou no alto, mas a testa cobriu o arco baiano. Trinta minutos de jogo, parada para reidratação, e o Vitória não tinha ameaçado uma só vez o arco da Macaca campineira.
Totó pra lá, pra cá, bolas alçadas à toa, marcação ... e nada de mais aconteceu até os 47 minutos rolados de uma primeira etapa morna, sem emoções. A Macaca atacou mais.
*
O empate não interessava a ninguém, menos ainda ao Leão, pela sua classificação na parte baixa da tabela. Então esperava-se mais ofensividade e velocidade de parte a parte. Aos 7’, cruzamento fechado e rasante de R Carioca, nas mãos do goleiro. Aos 10’, Lucas Cândido e Mateuzinho em campo, saindo Vico e Fernando Neto (apagados): as substituições de Barroca, tentando assumir as rédeas da partida e buscar o gol, necessário. O Leão mais aceso, postado mais na frente, disputando as divididas com mais vontade.
O jogo até tornou-se aberto, mas muito fraco, tecnicamente. Os melhores lances de gol só foram acontecer já nos minutos finais, quando o Vitória, já no desespero e na vontade, fez pressão, com bolas alçadas, escanteios, forçando. Mas o gol não saiu.
*
Escalações
- Vitória: Ronaldo, Leo, Wallace, Maurício Ramos e Rafael Carioca; Rend, Fernando Neto, Frizzo (Ruan Nascimento) e Thiago Lopes, Vico e Leo Ceará. Barroca é o treinador.
- Ponte Preta: Igor, Leo Pereira, Ruan, W. Carvalho e Lazaroni; Apodi, Barreto, Dawhan e Camilo; Bruno Rodrigues e Wanderley (Mateus Peixoto).
Treinador, Marcelo Oliveira.
Arbitragem de Rodrigo Raposo (DF), sem VAR.
*
- Próximo jogo do Leão, pela 23ª rodada, é na próxima quarta, dia 25, às 19h, contra o Náutico, nos Aflitos, em Recife.
- No mesmo horário de Leão x Macaca, nessa sexta, aconteceu em Florianópolis: Avaí 1 x 0 Confiança. A rodada segue.
**
Foto: EC Vitória