Ocupação de leitos de UTI na Bahia atinge o número mais alto desde o início da pandemia

         



A Bahia atingiu, nesta sexta-feira, 19, o maior número de pacientes internados em UTI’s desde o início da pandemia. Segundo a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), ao todo, são 864 pessoas distribuídas entre os leitos. Até então, o maior registro havia sido em 2 de agosto, com 857 internados.

Conforme o órgão, já há, inclusive, casos de pessoas com plano de saúde dando entrada em UPA’s por não conseguir vagas em hospitais particulares.

Em entrevista à Rede Bahia na manhã desta sexta, o governador Rui Costa (PT) chegou a dizer que o horário do toque de recolher, que vai até o próximo dia 25 em 343 municípios, seria ampliado caso a taxa de contaminação continuasse crescendo. “Será ampliado proporcionalmente ao crescimento da doença. Nós vamos ampliando o tempo de restrição e também com o fechamento de outras atividades. Caso contrário serão muitas mortes”, disse Rui.

Na quinta-feira, alarmado, o governador apresentou os números da pandemia no estado e justificou a medida excecional do toque de recolher.

“Se olharmos lá atrás, há quase um ano, o pior momento havia sido o mês de julho, quando chegamos a 80 óbitos por dia, e chegamos a ter 30 mil casos ativos na Bahia. Nós estamos numa curva muito ascendente, muito crescente. Ontem estávamos com 15 mil casos ativos e chegamos a 60 óbitos por dia. Isso ligou o sinal de alerta”, explicou.

Segundo ele, o decreto visa conter aglomerações associadas a consumo de bebidas. “Conter aglomerações predominantes de jovens, mas que levam o vírus para as suas casas, e que infelizmente isso elevou o número de óbitos. Nós iniciamos com o horário de 22h as 5h, podendo ampliar esse horário, se os números não recuarem.
A Tarde