A situação que estamos

         



Por Joselito Conceição
Vivemos hoje um tempo de opressão e tormentos; guerras sutis ceifando vidas; tememos as notícias dos jornais; chamadas no WhatsApp; gente angustiada, estressada, com ansiedade extrema; tememos loucura coletiva, porque o desequilíbrio já é fato. Ninguém mais é normal, e isso é o novo normal. Medidas são adotadas, fortes ou fracas, eficientes ou não; isolamento social, vertical, horizontal; quarentena; e, por fim, lockdown. Não estávamos preparados para tanto. Nem para pouco. Para muitos, ainda não caiu a ficha; outros estão no “tudo ou nada”, porque, por mais que se recomende o distanciamento, álcool em gel, máscara e evitar aglomerações, grupos resolvem fazer o contrário. Enquanto isso, os hospitais ficam superlotados, não temos vacina suficiente e, mesmo quem toma, não pode ter 100% de garantia. Um arsenal de munição é dado ao inimigo; se a política é a ciência do bem comum, experimentamos a antipolítica, porque a “politicagem” vem se tornando a maior aliada das nossas desvantagens.

”Bandeira branca,amor. Não posso mais. Pela saudade que me invade, eu peço paz.” Temos saudades dos tempos de paz, quando não precisávamos das disputas e desentendimentos do tratamento precoce e de tantas vacinas.Enquanto isso, milhares morrem por dia e deixam o povo leigo assombrado.

No Brasil, somos mais de 200 milhões, onde, diante do nome do Senhor Jesus, muitos joelhos se dobram. Uns poucos são indiferentes; outros poucos banalizam e profanam. Vamos pedir a Deus por esses. Contudo, nós, mais de 200 milhões restantes, precisamos clamar: “Jesus, filho de Davi, tende piedade de nós!” Todos os dias, a cada hora, a cada segundo de minuto. Necessitamos, urgentemente e a cada instante, da Misericórdia de Deus. Tem uma motivação internacional extraordinária, notícias de Medjugorje, onde informa que a Virgem Maria, com a permissão de Deus, mandou uma mensagem, para rezarmos, na sexta-feira, 19 de março, Dia de São José, às 15h, três pai-nossos e oferecermos à Santíssima Trindade, clamando pelo livramento dessa pandemia.

“Nada te perturbe, nada te espante. Tudo Passa. Quem a Deus tem, nada lhe falta; só Deus basta”. A esse Deus suficiente imploramos.

“Tudo posso naquele que me fortalece.” Vamos fazer uma campanha forte. Não apenas com os conhecidos, mas indo mais longe. Valem todos, de todos os lugares. Somos capazes, derrubando muros, construir pontes. Não importa sua igreja, denominação, crença. Não podemos, não devemos nem queremos a desesperança. Nutridos pela fé, mantemos viva a esperança e a certeza da vitória.

“Vinde ó Deus em nosso auxílio. Socorrei-nos sem demora.”

Sexta-feira, 19 de março, às 15h, com profunda reverência, rezar três pai-nossos, pedindo à Santíssima Trindade urgente libertação dessa pandemia.

O mundo inteiro, no mesmo dia e hora, a mesma oração.

Disse o Senhor: “Vi a opressão do meu povo, ouvi suas queixas, prestei atenção aos seus sofrimentos...então, desci para livrá-los.” Ex.3,7-8.

----------------------------------------------------------
Diáconono, Radialista, Articulista no Portal Notícia Capital