ACB lança manifesto que clama por ações urgentes e eficazes para combate à pandemia

         



A Academia de Ciências da Bahia, presidida pelo professor Jailson Andrade e integrada por alguns dos mais renomados cientistas baianos, lançou hoje o "Manifesto da Ciência em Defesa da Vida". No documento, a entidade expressa sua preocupação com a pandemia da Covid19 e “adere fortemente ao clamor por ações urgentes, eficazes e nacionalmente coordenadas pelo Ministério da Saúde que visem estancar e fazer regredir a escalada da morte no território nacional”.

A ACB ainda expressa seu “veemente apoio” ao manifesto lançado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Ordem dos Advogados do Brasil, Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns, Academia Brasileira de Ciências, Associação Brasileira de Imprensa e Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, intitulado O Povo Não Pode Pagar Com a Própria Vida, alusivo “ao quadro macabro de quase 300 mil mortos e o maior colapso do sistema de saúde já sofrido pelo País”.

Veja abaixo o Manifesto completo:

A Academia de Ciências da Bahia (ACB), extremamente preocupada e apreensiva com a Pandemia da Covid-19, vem a público expressar seu veemente apoio ao manifesto lançado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns (Comissão Arns), Academia Brasileira de Ciências (ABC), Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), intitulado O Povo Não Pode Pagar Com a Própria Vida. Diante do quadro macabro de quase 300 mil mortos e o maior colapso do sistema de saúde já sofrido pelo País, a ACB adere fortemente ao clamor por ações urgentes, eficazes e nacionalmente coordenadas pelo Ministério da Saúde que visem estancar e fazer regredir a escalada da morte no território nacional. O interesse público exige que as instituições nacionais ajam com sensatez e responsabilidade.

O Governo Federal, em particular, deve assumir integral e decididamente a rastreabilidade permanente do vírus, a vacinação em massa da população e o fornecimento de medicamentos validados pela ciência. Só assim, sem visões obscurantistas e discursos negacionistas, a pandemia poderá ser dissipada.