ASCENSÃO CELESTIAL DO IRMÃO

         



Por Henrique Ribeiro
O ano era de 1970, no Brasil não se falava em outra coisa a não ser a
Copa do Mundo de Futebol e a possibilidade do Tri Campeonato da
Seleção Canarinho, até então chamado de Escrete Brasileiro ou As Feras
do Saldanha, que ainda neste ano se tornaria A Seleção do Zagalo,
devido a discordância de Saldanha com o presidente do Brasil, mas em
Cândido Sales um fato marcante dividia as atenções, era a fundação do
empreendimento ginasial, a ECOS= Escola Complementar Orlando Spínola,
que tirava a minha cidade natal do nível de educação primária e
elevava ao nível ginasial, um grande passo quando se trata de oferecer
aos jovens a oportunidade de educação diferenciada. O professor José
Maria, um educador negro exemplar parecido com Sidney Poitier, o astro
americano do filme: Ao mestre com carinho, foi encarregado de avaliar
os futuros ginasianos cândido-salenses, entre esses privilegiados
jovens estavam um Quarteto fora de Cy: Alzino, Amâncio, Henrique e
Leonel entre outros tantos importantes alunos como o delegado
Gutemberg, o escrivão de paz Djalma, Amilton e Jaimilton, os futuros e
atuais ex-prefeitos da nossa cidade...A inauguração da ECOS foi o
sucesso do primeiro semestre de 1970 assim como o Tri Campeonato da
Seleção do Zagalo no segundo trimestre. O ano de 1970 foi memorável
para a Cândido Sales, o Brasil e o Mundo. Assim começava oficialmente
a se concretizar a minha amizade de anos a fio com o meu querido
amigo, com status de irmão, Amâncio Alves do Nascimento, mais
carinhosamente conhecido como Cinho.
Em 1971 um trio de amigos da terrinha se tornaria um grupo de Três
Mosqueteiros: Amâncio, Henrique e Rielson que migraria para Vitória da
Conquista em busca de um nível educacional melhor. Henrique e Rielson
conseguem vagas no Ginásio Paulo Paulo VI e o Amâncio consegue vaga no
Instituo Educacional Navarro de Brito, esse fato não afastou o trio
que sempre continuava se encontrando em Vitória da Conquista no meio
de semana e em Cândido Sales no final de semana.
Em 1975 acontece, um novo ato migratório dos Três Mosqueteiros para
Salvador em busca do sonho de se tornarem médicos. O Amâncio e o
Henrique após passar o dia inteiro na porta do ICEIA =Instituto
Educacional Isaias Alves conseguiram vagas no Colégio Ipiranga,
instituição que no passado teve ilustres alunos inclusive o Castro
Alves, o Poeta Condoreiro. O Rielson se matriculou no Curso
Pré-Vestibular Nobel.
Neste período moramos, os três na Pensão Amides do coronel Álvaro, na
Rua do Paraíso na Mouraria, mais tarde fomos morar em outra pensão no
Areal de Cima e esta também acolheu a Noraney, a futura esposa de
Amâncio e conterrânea nossa.
A partir do Areal de Cima, o Trio de Mosqueteiros se une a outros
jovens de Cândido do Sales entre outros Zito, José Nilton,
Jornandes...e fundam a República de Cândido Sales que teve como
endereço o Bairro do Garcia e por último fizemos A Mudança do Garcia
da República para o Bairro do Canela.
Em 1977 passaram no vestibular de Medicina da Escola Baiana, Rielson e Henrique.
Em 1978 é a vez de do nosso amigo Cinho também passar no vestibular da
Escola Baiana de Medicina. O trio de Mosqueteiros só saiu da república
após se formar em medicina, O Amâncio se casou com a Noraney e se
especializou em Ginecologia/Obstetrícia.
O Henrique se casou com Anete e se especializou em Cardiologia.
O Rielson casou com Herlândia e se especializou em Obstetrícia, mas
posteriormente se separou, casou com Roselma e ultimamente se encontra
com seu terceiro encontro matrimonial com a Simone, atual companheira.
Os Três Mosqueteiros vieram, venceram o adversário em comum e
conquistaram o sonho de se tornarem doutores na medicina com destaque
cada um em sua área sempre unidos na amizade.
Em 09/03/2021 o Trio de Mosqueteiros perdeu a guerra da vida para um
adversário sinistro e terrível o Covid 19 que levou o mais experiente
do grupo, o nosso amigo Cinho. Só mesmo uma fatalidade foi capaz de
separá-los.
O Cinho não morreu, por que o seu Show não terminou, ele apenas agora
vai brilhar no seu novo palco, o céu. Vai ao encontro dos pais: Deus e
seu pai consanguíneo o inesquecível Antônio Padeiro.
Cinho, você é um tratante, prometeu-me a apresentar sua neta Antonella
quando o Covid 19 passasse e partiu antes, mas lhe perdoo por que você
não tem culpa da antecipação do seu passaporte para céu, pelo Covid
19. Prometo que vou dizer a sua neta que o avô dela é um astrozinho
brilhante lá no céu.
Saiba meu amigo e colega que maior que a perda do irmão é a certeza da
ressurreição...Descanse em paz meu irmão...Pax Eterna!!!
 
--
Poeta e cardiologista