Com estoque baixo, Martagão pede doação de alimentos e EPI’s

         



Com estoque baixo, o Martagão Gesteira pede à sociedade baiana ajuda com a doação de alimentos básicos e de equipamentos de proteção individual (EPI’s). Referência em pediatria, a instituição reforça que esse apoio ajuda a reduzir os custos do hospital, que já trabalha com um déficit mensal. Somente com relação à doação de alimentos, houve uma redução de 70%.

As doações podem ser feitas diretamente no hospital, das 8h às 17h. O Martagão necessita de máscaras N95 ou cirúrgica, capa descartável e luvas de procedimento. Dentre os itens de gêneros alimentícios que o Martagão precisa estão: feijão, arroz, leite em pó, macarrão, entre outros. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (71) 3032-3773.

As doações podem ser feitas, também, via pix, sem taxas, por meio da chave doeagora@martagaogesteira.org.br.

Diariamente, são servidas 2.100 refeições por dia, sendo aproximadamente 830 para pacientes, 720 para acompanhantes e 550 para funcionários. Somente de leite em pó, o item que mais sofreu redução no quantitativo de doações, são utilizados, em média, 420 quilos por mês. “Com a pandemia, verificamos que houve uma redução nas doações de alimentos. É um apoio importante porque nos ajuda a diminuir os custos que o hospital tem por mês”, ressalta a diretora do Martagão, Erica Oliveira.

Instituição filantrópica mantida pela Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil, o Hospital Martagão Gesteira atende, por ano, a mais de 80 mil crianças de todo o Estado e realiza mais de 500 mil atendimentos. São disponibilizadas 28 especialidades médicas e, desde o início da pandemia, o hospital passou a atender também casos de Covid-19.