Lauro de Freitas e mais 11 municípios decidem não marcar data para retorno às aulas presenciais

         



Em reunião realizada na sexta-feira (23), gestores de Lauro de Freitas, Camaçari, Simões Filho, Mata de São João, Dias D’Ávila e Conde, que compõem o Consórcio Metro Recôncavo Norte, e Candeias, Madre de Deus, Santo Amaro, São Sebastião do Passé, Saubara e S. Francisco do Conde, que formam o Consórcio Baía de Todos os Santos, decidiram não marcar data para retorno das aulas nestes municípios.

O aumento de óbitos no mês de março, que registrou 3.229 mortes em função da Covid-19, após dois meses com média em torno de 1.500, o aumento de casos de novas variantes e jovens contaminados, além dos índices de ocupação de leitos de UTI’s foram alguns dos pontos que pesaram na decisão dos gestores. Foi levada em consideração ainda a ausência de uma programação mais efetiva para a vacinação dos trabalhadores da educação, reivindicação que há muito tempo vem sendo feita ao Ministério da Saúde (MS).

Esses dados foram apresentados à prefeita Moema Gramacho e aos gestores dos demais municípios durante o encontro, que contou com a presença do secretário estadual de Educação, Jerônimo Rodrigues, e da subsecretária de Saúde do Estado, Tereza Paim, secretários municipais de saúde e educação, e de técnicos das duas esferas.

A vacinação dos profissionais da Educação foi liberada recentemente pela Comissão Intergestores Tripartite do Estado da Bahia (CIB), no entanto, não houve ainda indicação do MS. Mesmo com a autorização da CIB, o número de doses enviadas pelo Ministério para os municípios ainda é muito pequeno e tem de atender aos públicos prioritários elencados na 1ª fase de vacinação, como profissionais de saúde, idosos acima de 60 anos e quilombolas.

“Sem uma programação mais efetiva da chegada de vacinas para os trabalhadores da educação, a nossa decisão foi de mantermos a cautela e de cobrar do Governo Federal mais celeridade na aquisição de mais vacinas, para termos mais segurança para os alunos, crianças, jovens e profissionais das escolas. Entendemos que as aulas presenciais contribuem muito para o aprendizado, mas não podemos descuidar da vida dos alunos e trabalhadores”, declarou a prefeita Moema Gramacho, presidenta do Consórcio Metro Recôncavo Norte.

De acordo com o prefeito de Camaçari, Elinaldo Araújo, uma nova reunião deverá ser convocada na próxima semana. “Na reunião faremos uma nova avaliação, desta vez com a participação de representantes do Ministério Público do Trabalho, Conselhos de Educação e Sindicatos das Categorias Profissionais. Enquanto isso, continuaremos com as aulas remotas e com tudo pronto para as aulas híbridas, aguardando o momento seguro para o retorno presencial”.