Jovens do PT e do MST reúnem políticos em ato virtual e reforçam defesa da ciência e combate às ´fake news`

         



Um encontro virtual com jovens do Partido dos Trabalhadores (PT) e do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) reforçou a defesa pela ciência, combate às ‘fake new’ e ampliou os debates sobre os desafios da juventude brasileira na pandemia e as perspectivas de luta após a crise sanitária. A reunião aconteceu neste sábado (24) e contou com políticos da tendência interna do PT, a Esquerda Popular Socialista (EPS), e de membros do Coletivo Quilombo. Para o deputado federal Valmir Assunção (PT-BA), “não se pode discutir uma sociedade sem que seu povo conte sua própria história, não se pode pensar em sociedade sem fazer o recorte de raça, gênero e classe, pois esses são fatores cruciais para que encontremos soluções para os problemas vivenciados atualmente no país”. Ao lado do parlamentar sergipano João Daniel, também deputado federal petista, Valmir defendeu a resolução apresentada pelos jovens e destacou a presença massiva no evento virtual.

 

Já a secretária nacional de Movimentos Populares e Políticas Setoriais do PT, Vera Lúcia Barbosa, a popular ‘Lucinha’, detalhou a luta da juventude por igualdade e por direitos. “Essa é a juventude popular do PT. Jovens que lutam para vencer esse triste capítulo da história do Brasil, onde acontece um aprofundamento das desigualdades sociais, acentuando o sofrimento dos povos indígenas por demarcação de terra. As comunidades tradicionais estão esquecidas e lutam para manter suas culturas vivas, a periferia e o povo preto também lutam para se manter vivo, e os trabalhadores rurais - que batalham por uma vida digna. Tem ainda os LGBTQIA+, que precisam provar que cabem nos espaços, as mulheres sofrendo violência doméstica e feminicídio e a classe trabalhadora em si - que luta pelos direitos de um trabalho digno”.

 

Para os jovens petistas, a juventude de esquerda deve construir sua própria história. “Não vamos esperar o futuro para lutar, vamos construir o próprio futuro, como muitos jovens fizeram no passado. Nosso desafio é defender a ciência e combater ‘fake news’. Não podemos recuar até que tenhamos a garantia da vacinação em massa para conter o vírus e as mortes. A negligência desse desgoverno de Bolsonaro, antipovo, estabeleceu um caos que acarreta perdas irreparáveis, por isso é necessário assumir os desafios apresentados à nossa geração. Lutaremos para que não falte comida no prato. Estamos nas mesmas trincheiras dos que hoje sentem fome, é um absurdo que em um país produtor de alimentos tenhamos que conviver com insegurança alimentar”, aponta trecho de resolução política apresentada na plenária.

 

Participaram ainda do encontro político a vereadora de Campo Grande (MS), Camila Jara (PT), e o ex-vereador de Aracaju, Camilo, além de jovens de diferentes regiões do Brasil. Também participaram o secretário nacional da JPT, Ronald Sorrio, o pastor presbiteriano, membros da direção nacional da EPS, Luis Sabanay, a jornalista e dirigente nacional do PT, Sheila Oliveira, e a secretária de Movimentos Populares do PT de Sergipe, Taires Santos. O encontro virtual contou com a participação da secretária de juventude da CUT, Cristiana Paiva, da vereadora de Governador Valadares (MG), Gilsa Santos, além do membro do coletivo nacional da juventude do MST, Fred Santana, da pesquisadora da Rede de Observatórios da Segurança e Iniciativa Negra, a secretária de Movimentos Populares do PT da Bahia, Luciene Santana, e a secretária de Movimentos Populares do PT de Salvador, Dani Ferreira.