CORDELIVRO REÚNE 30 POETAS DE CORDEL DA BAHIA

         



Adaptada ao formato do parente mais difundido – o livro – a literatura de cordel ganhou uma nova configuração com o cordelivro, “um jeito camaleônico para fazer frente aos desafios atuais”, na definição de um dos cordelistas mais renomados da Bahia, o feirense Franklin Maxado. A novidade do cordelivro é "A Nova Antologia de Cordelistas Baianos", uma publicação da Nordestina Editora, sediada em Barreiras, no oeste do estado.

Sob o patrocínio da Lei Aldir Blanc, a coletânea reúne 30 poetas do gênero cordel, de várias gerações, passando por Antônio Alves da Silva, Cuica de Santo Amaro, Bule-Bule, Franklin Machado, e uma geração que também vem sustentando o estandarte da poesia mais popular do Nordeste,que vai de Antônio Barreto, Elita Pereira Matos, Juliana Maciel, Sueli Valeriano, Elton Magalhães e outros.