Comissão investiga denúncia contra Paulo Carneiro no Vitória

         



Passadas algumas semanas em que o time do Vitória foi o principal assunto na Toca do Leão, na sexta-feira, 30, Paulo Carneiro voltou a ver os holofotes rubro-negros apontados para si. O presidente acompanhou o Conselho Deliberativo abrir uma comissão para investigar supostas ações da diretoria com intuito de dificultar a fiscalização das contas do clube.

A acusação foi feita por Janílson Reis Vitória, presidente do Conselho Fiscal, durante reunião no último fim de semana. A comissão responsável por investigar o caso foi oficializada, nesta sexta, 30, pelo presidente do Conselho Deliberativo, Fábio Mota. Sete conselheiros rubro-negros vão se reunir e apresentar um relatório sobre o caso em até 30 dias.

Procurado pela reportagem do A TARDE, Fábio Mota falou sobre o assunto. “Presidente do Conselho diretor [Paulo Carneiro] diz que não existe, e o presidente do Conselho Fiscal (Jaílson Reis) diz que existe. É fundamental saber se houve ou não os supostos entraves no trabalho do Conselho Fiscal com relação à documentação do clube, então colocamos sete representantes do conselho para apurar isso e determinar uma decisão final”, disse o presidente do Conselho Deliberativo.

Paulo Carneiro também foi procurado, mas não quis falar sobre o assunto. Ainda nesta sexta, o cartola usou o site do Vitória para se posicionar, só que em relação a outra questão que envolveu o nome do presidente do Leão.

De acordo com o site Bahia Notícias, Paulo Carneiro teria forjado um contrato com o Vitória S/A para cobrar uma indenização quase milionária. A informação foi publicada a partir de uma decisão de 14 de dezembro de 2017, proferida pela juíza Fernanda Marinho da Silva Godinho, da 11ª vara cível de Salvador.

O A TARDE não conseguiu contato com Fernanda Marinho, mas apurou que a Carneiro Ass Fin LTDA cobra um valor de R$ 820.440,42 do Vitória S/A, referente a ‘prestação de serviços’. A ação foi movida em 2010.

Sete anos depois, a juíza Fernanda Marinho decidiu que o contrato firmado entre as partes foi “realizado com o intuito de simular uma relação jurídica que de fato não existiu”, como está registrado em parte da sentença. Em 2020, a Carneiro Ass Fin LTDA entrou com recurso para alterar a decisão.

Na nota publicada no site do clube, o presidente alega que o processo na justiça aconteceu contra o Vitória S/A e teve o intuito de buscar “recebimento de valores devidos em face da minha atuação na presidência da Instituição”.

Vitória S/A é uma empresa fundada em 1998, quando o clube era presidido por Paulo Carneiro, que recebeu investimento para ser repassado ao futebol. Sem sucesso, o modelo foi encerrado em 2008.
Do A Tarde