Vitória perde do Jacuipense em casa e se complica

         



Por Zedejesusbarreto
O Leão cumpria o jogo atrasado, da 4ª rodada, no Barradão, sob chuva, e se deu mal. Teve o centroavante Samuel expulso, no final da primeira etapa, quando vencia por 1 x 0, e permitiu a virada na segunda etapa com falhas individuais defensivas (2 x 1). Dois gols do veterano artilheiro Dinei, que jogou e foi ídolo do rubro-negro na década passada. Um resultado inesperado e muito ruim para o Leão. O Jacuipense mereceu o triunfo e, podem apostar, vai dar muito trabalho ao Bahia na rodada final.

Com o resultado, o Vitória continua com 10 pontos, mas agora na sexta posição, mais afastado do grupo dos quatro que se classificam para o quadrangular que decide o campeão. O Jacuipense, agora com 11 pontos, é o quinto.
Os quatro primeiros são o Juazeirense, com 17 pontos, único classificado matematicamente garantido. O Juá é seguido pelo Atlético de Alagoinhas, com 13; Bahia de Feira e Bahia com 12.
A rodada final vai pegar fogo. Veja os jogos mais abaixo.
*
Bola rolando
Chuva renitente na área de Canabrava, campo bem pesado, fofo e escorregadio.
Começo de partida bem disputado, corrido, equilibrado. A primeira tentativa foi do Jacuipense, aos 5 minutos, em boa jogada individual e de Matheus, rompendo da esquerda para o meio; o chute passou a palmo do poste de Yuri, assustando. Aos 9’, chutaço de longe de Peixoto, bola quicando na grama molhada, Yuri deu rebote mas ninguém chegou para finalizar. Aos 15’, Dinei tentou de longe, nas mãos do goleiro. O Leão tem mais posse de bola, o Jacupa mais objetivo, arriscando. Mas...
- Gol ! Vitória 1 x 0. Soares de falta, aos 18 minutos. Bateu pelo alto, de canhota, o goleirão Vitor foi encoberto, papou, aceitou. No primeiro chute da equipe da casa.
Aos 22’, novamente o Jacuipense chegou forte, com cruzamento da direita e cabeçada de Matheus, raspando o travessão rubro-negro. Aos 23’, após uma saída de bola errada do goleiro Yuri, Matheus ficou de cara, Yuri salvou o gol de empate. Aos 31’, Catatau bateu de fora, forte, a bola raspou a trave de Vitor. Aos 44’, o pessoal do interior pediu pênalti, Catatau derrubando o atacante que entrava em velocidade pela esquerda.
Aos 48’, Samuel foi expulso, bobamente, após meter a mão na cara do beque, disputando uma bola morta, já com o jogo parado pela arbitragem. O rubro-negro no prejuízo, pois.

*
O Leão venceu, fez o gol na primeira etapa, mas o Jacuipense jogou mais no campo adversário e criou as melhores chances.
Chuva, gramado pesado, bola lenta, o Leão se encolheu, prendeu bola, ficou na moita depois do gol. O time de Jacuípe, ousado, bem armado, acreditou, foi pra cima.
Nada definido, até porque o time de Jacuípe voltaria para o segundo tempo com um atleta a mais em campo.
*
Brigando também por uma classificação e com um atleta a mais, o Jacuipense voltou dos vestiários com apetite, atacando. Aos 3’, uma bomba de Railan, da direita, passou perto. O Leão sem pressa, tocando bola, fechadinho, mascando o ritmo, na manha. E a Jacupa chutando, dando algum trabalho ao goleiro Yuri. Aos 23’, num vacilo geral defensivo do Vitória, o ataque interiorano desperdiçou a chance, o gol à mercê.
- Gol ! 1 x 1, Dinei, aos 25’, de cabeça, subindo mais alto que Wallace num cruzamento da esquerda; testou forte, sem defesa. Ótimo cabeceador.
Mal deu a saída...
- Gol, 2 x 1, de novo Dinei. Bola mal atrasada, o becão João Victor vacilou, Dinei roubou, entrou livre e fuzilou o goleiro, virando o jogo. Aos 27’.
Aí, bateu desespero e o rubro-negro foi todo pra cima, pro tudo ou nada. Hora, pois, do Jacuipense se segurar, começar a gastar tempo, fechando-se mais, pra garantir o resultado. O Leão em cima, na raça, na força, lutando. O árbitro deu 5 min de acréscimos. Escanteios, bolas alçadas, pressão... e nada. Só mais um expulso, o volante João Pedro, em uma falta grotesca no meio campo para matar um contragolpe; segundo cartão amarelo aplicado.
*
Destaques
Ainda na primeira etapa, o lateral Van levou uma bolada no rosto, ficou tonto, foi substituído e precisou ser levado a exames mais detalhados numa van(?)/ambulância até um hospital.
A expulsão de Samuel favoreceu o triunfo do Jacuipense, que tem uma equipe bem treinada, com Dinei ainda inspirado, goleador, oportunista, e o veterano Danilo Rios comandando. A zaga é dura, boa. E muita correria.
O Vitória não atuou bem, mesmo quando tinha 11 em campo. Sem criatividade. E a defesa falhou feio nos gols da Jacupa.
*
Escalações
- Vitória : Yuri, Van (Cedric), João Victor, Wallace e Roberto; Maikon Douglas (Marco Antonio), João Pedro, Soares; Uéslei (Ruan Levine), Samuel (expulso) e Catatau. Treinador, Rodrigo Chagas.
- Jacuipense : Vitor, Railan, Thiago Alves, Railon e Vicente; Luis Fernando, Peixoto (Mailson), Josa (Perozo) e Matheus(Jeferson); Danilo Rios (Djavan) e Dinei. Treinador, Jonílson Velloso.
No apito, Diego Pombo Lopes (não deu pênalti claro em favor da Jacuipense e foi muito rigoroso na expulsão de Samuel).
**
Rodada final
- Vitória x Fluminense; Jacuipense x Bahia; Doce Mel x Juazeirense; Bahia de Feira x Unirb;
Vitória da Conquista x Atlético de Alagoinhas.
A rodada inteira, com todos os jogos no mesmo horário (18h30), está inicialmente marcada para quarta-feira, mas, a pedido do Bahia, pode ser transferida para quinta. A decidir.
**
Bora Bahia !
Depois da derrota doída (1 x 0 no minuto derradeiro) contra o Ceará, o carrasco Vozão, na primeira partida pela disputa do título da Copa do Nordeste 2021, sábado em Pituaçu, o Tricolor volta a campo na terça à noite, no mesmo gramado; então, enfrenta o Independiente da Argentina, papão de títulos, valendo pontos pela Copa Sudamericana. Duríssimo, teste de fogo.
Muita expectativa sobre a equipe que Dado Cavalcanti montará e mandará a campo, diante das circunstâncias. No sábado, o Tricolor teve um atleta expulso (o zagueiro Luis Otávio), e tem mais dois suspensos por cartões, que não vão atuar no próximo sábado, a decisão, em Fortaleza: o lateral Nino Paraíba, e o apoiador Patrick. Por sinal, os destaques do time.
*
Recado para o torcedor:
“Ninguém conquista um título num único dia, numa única tarde. Não. Um título é todo sangue, todo suor, e todo lágrimas de um campeonato inteiro”.
(O texto é do grande Nelson Rodrigues, de 1959, quando seu Fluminense ganhou o título carioca. Sabedoria.)
Recado para o presidente Bellintani:
“Jogo se ganha em campo; títulos se ganha fora de campo”
(Máxima do eterno Osório Villas Boas, saudoso presidente do Bahia, primeiro Campeão Brasileiro/1959)

**
Foto: EC Vitória