Mandetta diz que governo sugeriu mudar bula da cloroquina

         



O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta disse à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado nesta 3ª feira (4.mai.2021) que recebeu “aconselhamento paralelo” do Palácio do Planalto para que mudasse a bula da cloroquina, indicando o medicamento como tratamento para covid-19.

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta é o 1º ouvido pela CPI da Covid no Senado© Sérgio Lima/Poder360 16.04.2020 O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta é o 1º ouvido pela CPI da Covid no Senado
A cloroquina é 1 remédio de uso controlado que tem efeito imunomodulador, ou seja, dá resposta imune contra determinados microorganismos. É usado contra a malária, artrite reumatoide e lúpus. A droga e a hidroxicloroquina, medicação derivada da cloroquina, já foram testadas contra o coronavírus em vários países, mas não houve estudo conclusivo para comprovar eficácia contra a covid-19.

“Eu estive dentro do Palácio do Planalto quando fui informado, após uma reunião, que era para eu subir para o terceiro andar porque tinha lá uma reunião de vários ministros e médicos que iam propor esse negócio de cloroquina, que nunca eu havia conhecido. Ele [Jair Bolsonaro] tinha um assessoramento paralelo. Nesse dia, havia sobre a mesa, por exemplo, um papel não timbrado de um decreto presidencial para que fosse sugerido, daquela reunião, que se mudasse a bula da cloroquina na Anvisa, colocando na bula a indicação de cloroquina para coronavírus”.

Segundo Mandetta, foi o próprio presidente da Anvisa Barra Torres que falou: “Isso não”.

“Mas é uma sugestão de alguém. Alguém pensou e se deu ao trabalho de botar aquilo num formato de decreto”, disse Mandetta.
Do Poder 360