Programa CredSalvador é aprovado pela Câmara

         



O programa CredSalvador, elaborado pela Prefeitura, foi aprovado por unanimidade pela Câmara de Vereadores na tarde desta terça-feira (4). A iniciativa faz parte do pacote de medidas emergenciais da atual gestão para retomada econômica da capital baiana, anunciado em abril passado. O projeto agora seguirá para sanção do prefeito Bruno Reis.

 

O CredSalvador tem como proposta oferecer R$10 milhões em microcrédito desburocratizado. Trata-se de um fundo municipal a ser criado e que terá, como público-alvo, profissionais autônomos e liberais, cooperativas ou associações de pequenos empreendedores, microempreendedores individuais (MEIs) e microempresas (MEs).

 

O programa deve beneficiar 4,3 mil empreendedores, que poderão tomar empréstimos nos valores entre R$500 reais a R$25 mil, a juros baixos de 0,7% ao mês e com seis meses de carência. O prazo de pagamento das parcelas ficará entre 12 a 24 meses.

 

O prefeito celebrou a ação, principalmente pelo propósito do programa: oferecer microcrédito fácil e sem a burocracia dos bancos tradicionais de fomento para as pessoas que foram duramente afetadas com as restrições das atividades, provocadas pelo novo coronavírus. Esta será a primeira vez que Salvador oferecerá este tipo de apoio com recursos 100% municipais.

 

“Agradeço mais uma vez à Câmara de Vereadores pela sensibilidade na aprovação deste projeto que é de suma importância para o desenvolvimento econômico da cidade, principalmente neste momento de retomada das atividades”, declarou Bruno Reis.

 

Próximos passos – De acordo com a secretária de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Renda (Semdec), Mila Paes, nas próximas semanas deverá ser realizado um processo licitatório para seleção do agente de crédito encarregado da criação da plataforma digital do programa e da operacionalização dos empréstimos. “O uso da plataforma eletrônica permitirá que o processo de concessão seja ágil, desburocratizado e que o dinheiro realmente chegue a quem mais precisa”, pontuou.