Mutirão agiliza cadastro de pessoas com doenças crônicas para vacinação

         



Uma das estratégias utilizadas pela Prefeitura para agilizar o processo de vacinação para prevenção do coronavírus em pessoas portadoras de doenças crônicas é o mutirão de cadastramento desse público, que é um dos mais vulneráveis para desenvolver sintomas graves da doença provocada pelo Sars-CoV-2. A estratégia voltou a acontecer nesta sexta-feira (21), em 155 postos municipais de saúde espalhados por toda a cidade.

 

A iniciativa aconteceu pela primeira vez há uma semana, quando foram cadastradas mais de 10 mil pessoas com doenças crônicas, também chamadas de comorbidades. Foram atendidos, por exemplo, cidadãos com hipertensão, problemas cardíacos e respiratórios, diabetes, obesidade, entre outras enfermidades, cujo nome não estava no site da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) para receber a primeira dose da vacina – essa consulta pode ser feita no site comorbidades. saude. salvador. ba. gov. br.

 

Portador de obesidade, o vigilante Roque dos Santos da Silva, 31 anos, compareceu à Unidade de Saúde da Família (USF) Vale do Matatu para ser cadastrado e receber a primeira dose da vacina contra o coronavírus. “Acho o serviço excelente, um belo trabalho da Prefeitura. Quando surgiu esse mutirão falei para minha esposa que era a chance de me livrar da preocupação de pegar o vírus. Ela até me ligou agora há pouco ansiosa para saber se eu já tinha me vacinado, pois sabemos das dificuldades que o processo de vacinação no país tem enfrentado”, confessou.

 

Natural da cidade de Cachoeira, no Recôncavo Baiano, Roque se mudou para Salvador onde chegou a trabalhar em dois empregos. Com a pandemia, entretanto, decidiu sair de uma das ocupações visando preservar mais a própria saúde. “Saí de um dos trabalhos com medo da minha imunidade abaixar para não pegar a Covid e, agora com a vacina, estou vendo a oportunidade de retornar a minha rotina. Estou muito mais aliviado”, revelou.

 

Praticidade – O processo de cadastramento no posto é simples e costuma durar em média 15 minutos. Ao chegar em uma das unidades básicas, o paciente tem acesso à consulta com um médico para habilitação na estratégia. No local, são exigidos documento de identificação com foto, exames comprobatórios e, se possível,  relatório médico atestando a comorbidade.

 

Após identificada a condição priorizada no Plano Nacional de Imunização contra Covid-19, o paciente com idade igual ou superior a 18 anos, tem o nome atualizado ou cadastrado na plataforma digital de comorbidades da SMS.

 

O acesso para o cadastro é restrito ao profissional médico que utiliza o mesmo login e senha do Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb). Essa ação, portanto, garante mais segurança além de evitar que fraudes ocorram.

 

A médica infectologista da SMS, Adielma Nizarala, chama a atenção para que as pessoas também estejam atentas em manter os dados pessoais atualizados junto ao Sistema Único de Saúde (SUS). A ação pode ser feita através do link recadastramento www. saude. salvador. ba. gov. br , até o dia 31 de agosto.