Rui Costa defende união de Lula e FHC contra Bolsonaro

         



O governador da Bahia, Rui Costa (PT), comentou ontem o encontro entre os ex-presidentes Lula e FHC, revelado pelo petista. Para Costa, o gesto de união entre os adversários se justifica diante da situação de tragédia no país, que é presidido por um “incompetente” — ele não citou o nome de Jair Bolsonaro.

“As pessoas podem divergir. O Fernando Henrique tem ideias para a sociedade, de Estado, de como tocar a economia, tem um monte de ideias. O Lula tem outras ideias. Mas a política é isso. São ideias diferentes que têm que dialogar, todas a favor do Brasil”, declarou o baiano, em entrevista a rádios da região oeste do Estado, segundo publicação da Veja Online.

O governador fez em seguida uma comparação do cenário com o de uma empresa que está indo à falência, na qual os sócios deveriam se juntar para salvá-la.

“O que nós temos que buscar é salvar o nosso país dessa tragédia. Então é como se você trabalhasse numa empresa e alguém se tornou presidente, alguém incompetente da sua empresa, que não saber fazer nada. Você está vendo sua empresa ir à falência. Então os funcionários, os sócios têm que se juntar para salvar a empresa. Então nós somos os donos do Brasil. O povo brasileiro é o dono desse país. Então nós temos que salvar o Brasil dessa tragédia”, disse o petista.

ALERTA

Durante conversa com profissionais da imprensa da região oeste da Bahia, em transmissão pelas redes sociais, o governador Rui Costa fez um alerta à população em decorrência das altas taxas de internação pelo coronavírus. “Nos últimos dias, registrarmos um crescimento acelerado no número de casos e, nessa situação terrível, temos assistidos com perplexidade a festas clandestinas que fazem a contaminação crescer. Estamos trabalhando muito, montamos uma estrutura grande e hoje temos cerca de 1,6 mil leitos de UTI abertos exclusivos para covid-19 em toda a Bahia. Temos medidas restritivas em vigor, mas a única forma de conter o vírus, além da vacinação, é evitando aglomerações, usando máscara e álcool em gel. É necessário que as pessoas se conscientizem disso. Sem o apoio de todos, não vamos vencer a guerra contra o vírus", afirmou.
Da Tribuna