PROJETO LENDO MULHERES NEGRAS ESTRÉIA NO MERCADO LITERÁRIO

         



A publicação é assinada por Evelyn Sacramento, que é cofundadora do projeto literário Lendo Mulheres Negras e neste momento se lança para a carreira de escritora. O livro “Menina Nicinha” tem forte inspiração nas conversas de Evelyn com sua avó, onde eram contadas lembranças da infância, com direito a molecagem, trabalho e memórias do recôncavo baiano, já que a autora é nascida em Santo Amaro. Voltado para o público infantil, o livro é informativo e reflexivo, sem deixar de despertar a curiosidade e a inteligência dos pequenos leitores. A publicação tem 36 páginas e ilustrações da mineira Bárbara Quintino.

Para as mulheres negras, o distanciamento social não é o que se pode chamar de uma novidade. E sempre que é necessário falar sobre esse lugar, que ainda está na base da pirâmide na nossa sociedade, parece repetitivo e cansativo. Vale ressaltar, que Evelyn e o LMN sempre tiveram como meta ecoar as vozes femininas. E o momento é agora, porque ainda existem mulheres negras vivas e elas estão se reconhecendo, escutando umas às outras e não permitirão mais que suas iguais sejam silenciadas novamente. Não sem uma grande revolução!

O livro Menina Nicinha foi contemplado no Prêmio das Artes Jorge Portugal, e tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

A venda do livro começa no dia 2 de junho e os pedidos podem ser feitos no site https://www.lendomulheresnegras.com.br/menina-nicinha. Os 50 primeiros livros vendidos até o dia 3 serão autografados pela autora, Evelyn Sacramento. Todos os pedidos feitos até dia 20 de junho terão frete incluso, no valor de R$35,00 por livro. E além disso, os materiais didáticos estão disponíveis para download gratuito no site do projeto. 


Sobre o projeto

O projeto Lendo Mulheres Negras nasceu em 2016, como uma pergunta simples a ser respondida: “Quantas autoras negras vocês já leu?”. Desde então, a nascente de ideias nunca mais deixou de fluir. Adriele Regine e Evelyn Sacramento são as fundadoras do projeto e dedicam seu tempo e esforços para conhecer, estudar e incentivar o trabalho de mulheres negras em diversas áreas, dentro e fora da literatura. O ver “LER” foi ampliado e hoje o LMN fala sobre muitos aspectos da criação e arte produzida pelo seu público alvo e também objetivo de pesquisa. 


Foi a partir dessa reflexão que surgiu a iniciativa de encontros literários para ler e discutir obras de autoras negras. De modo geral as mulheres, sobretudo as mulheres negras, foram excluídas de vários espaços sociais, políticos, culturais, e na literatura não foi diferente. O machismo e racismo silenciam as vozes de mulheres negras no campo literário. Em contrapartida a esse esquecimento e invisibilidade de autoras negras, os nossos encontros nasceram com o propósito de resgatar e conhecer a vasta produção dessas mulheres.

 

Ao longo desses anos, desenvolvemos várias formas de contar a nossa história, e chegamos ao ano de 2021 realizando feitos importantes! Muitas dessas conquistas foram registradas no nosso @, mas sabemos que tão essencial quanto a visibilidade das redes sociais é o ato de plantar sementes de confiança na vida de tantas mulheres.

Conheça o Projeto Lendo Mulheres Negras
Instagram: instragram.com/lendomulheresnegras
Facebook: www.facebook.com/lendomulheresnegras/
YouTube: www.youtube.com/c/LendoMulheresNegras