Limpeza no mar e plantio marcam Dia do Meio Ambiente em Salvador

         



Neste sábado (5), Salvador foi palco de ações realizadas ou apoiadas pela Prefeitura para celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente. Uma das iniciativas ocorreu logo pela manhã: uma ação de coleta de resíduos descartados no mar da Baía de Todos-os-Santos, a partir da praia da Gamboa. A iniciativa faz parte do projeto Paramana Nature e foi promovida pela Destilaria Paramana, com apoio da Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb).

 

Presente na ação, a vice-prefeita e secretária de Governo (Segov), Ana Paula Matos, afirmou que a ação de limpeza no mar é um trabalho de extrema importância para a conscientização ambiental da população soteropolitana. “É preciso que as pessoas mudem seus atos e deixem de poluir o ambiente para termos uma cidade sustentável, que possa reintegrar biodiversidade ao seu habitat natural. O papel da Prefeitura é o de construtora de políticas públicas e de zeladora da cidade. Por isso, apoiamos este projeto, uma bela parceria com a sociedade civil e o setor privado”, avaliou.

 

O presidente da Limpurb, Omar Gordilho, frisou que o descarte incorreto de resíduos prejudica a flora e a fauna marinhas e explicou a participação da pasta na iniciativa. “Mobilizamos 40 agentes e 20 mergulhadores para a limpeza e retirada de resíduos nesta ação. É importante lembrar que a Prefeitura realiza diariamente a limpeza da orla com uma equipe fixa de 160 agentes e 16 equipamentos. No entanto, o mais importante é que o cidadão se conscientize do seu papel e recolha o próprio lixo quando for à praia”, assinalou Omar.

 

“Nossa expectativa é realizar mais ações a partir da nossa casa, que é Salvador, onde 800 mil toneladas de lixo são retiradas do mar por ano”, pontuou o representante da Destilaria Paramana, Wagner Miau.

 

Consciência – Consultor científico do projeto e doutor em geologia marinha e costeira, José Rodrigues sublinhou a importância da educação para o cuidado com os oceanos e cunhou o termo “oceania” para se referir à necessidade de uma cidadania, com direitos e deveres das pessoas, em relação à vida oceânica.  

 

“Metade do oxigênio que respiramos vem dos oceanos, também responsáveis pela regulação do clima e por parte de nossa alimentação, com os peixes e frutos do mar. Precisamos, portanto, que mais iniciativas como essa sejam realizadas, especialmente em apoio a pesquisas sobre os impactos ambientais da humanidade nos ecossistemas marinhos”, avaliou o cientista.

 

Nadador e integrante da equipe de mergulhadores, Richard Max, 18 anos, deixou um recado para a população. “Só queria pedir o que aprendi com minha mãe e minha avó, que as pessoas tenham respeito e educação e não joguem lixo na praia nem na rua, porque o esgoto traz para o mar”, concluiu. 

 

Plantio – Também neste sábado (5), a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Sustentabilidade e Resiliência (Secis), realizou o plantio de 70 mudas de espécies da Mata Atlântica em quatro pontos da cidade. Foram dez mudas de ipê na orla da Boa Viagem; outras dez árvores no Parque da Cidade e 20 na Avenida Centenário, além de 30 mudas plantadas em Praia do Flamengo.