Vantagem de Lula sobre Bolsonaro cai 7 pontos

         



O ex-presidente Lula venceria Jair Bolsonaro em um 2º turno se as eleições fossem agora, segundo pesquisa PoderData. A vantagem, no entanto, mostra tendência de queda.

Hoje, o petista tem 48% das intenções de voto contra 37% do atual presidente ­­–diferença de 11 pontos percentuais. Em abril, marcava 52% enquanto Bolsonaro estava em 34%, uma distância de 18 pontos.

As variações percentuais de Lula e Bolsonaro no 2º turno vêm se movendo devagar a cada mês, dentro da margem de erro de 2 pontos percentuais da pesquisa. A tendência fica mais clara na comparação entre os níveis atuais com os de 2 meses atrás.

Esta pesquisa foi realizada no período de 2ª a 4ª feira desta semana (7 a 9 de junho de 2021) pelo PoderData, a divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Foram 2.500 entrevistas em 522 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

DORIA E CIRO MELHORAM CONTRA BOLSONARO

Identificados como candidatos de “3ª via”, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), apresentaram considerável melhora nos cenários de 2º turno contra o presidente Jair Bolsonaro.

Doria saltou 7 pontos em comparação à pesquisa anterior, no início de maio. Hoje aparece numericamente empatado com o presidente, os 2 com 39%.

Ciro, que aparecia tecnicamente empatado com o presidente em maio (38%, contra 41% de Bolsonaro), subiu 6 pontos. Agora marca 44%, superando 36% do atual ocupante do Palácio do Planalto.

As melhoras de João Doria e de Ciro Gomes coincidem com mudança de estratégia de ambos.

No caso do governador paulista, ele começou 2021 tentando se impor ao PSDB quase como nome único para ser o candidato a presidente no ano que vem. Também passou para muitos empresários uma imagem de certa arrogância ao decidir os protocolos de distanciamento social e de fechamento dos estabelecimentos comerciais. De abril para cá, o tucano amenizou sua atuação. Procurou empresários para conversar e busca uma atuação menos beligerante dentro de seu partido.

Ciro Gomes contratou João Santana, que foi condenado pelo mensalão e fez campanhas presidenciais para Lula (2006) e Dilma Rousseff (2010 e 2014). O marqueteiro tem suavizado a imagem do pré-candidato do PDT a presidente, mostrando Ciro em filmes mais informais na internet.

O apresentador Luciano Huck segue em vantagem contra Bolsonaro. Tem 45%, com 10 pontos à frente. Os 2 registraram variação dentro da margem de erro em relação à rodada anterior.
Do Poder 360