Prefeito de Candeias é alvo de operação contra fraude na compra de respiradores

         



A Polícia Federal realizou, ontem, 11, uma operação contra suposta fraude na compra de respiradores pelo prefeito de Candeias, Pitágoras Alves (PP). Ele foi preso por que os agentes encontraram, no cumprimento de mandado de busca e apreensão na residência do gestor, uma pistola e uma espingarda, sem que ele tivesse autorização para ter porte ou posse de armas. Ele foi liberado após apresentar os documentos das armas.

A ação da PF batizada “Estertor” investiga fraudes em procedimento de dispensa de licitação pela prefeitura de Candeias na aquisição de ventiladores mecânicos pulmonares, com verbas públicas federais, destinadas ao enfrentamento da pandemia Covid-19. De acordo com os investigadores, cada ventilador custou aos cofres municipais 175 mil, totalizando vultosos R$ 1,4 milhão. Segundo a PF, valores “manifestamente incompatíveis” com os de mercado, chegando a revelar uma diferença de mais de R$ 100 mil por equipamento.

A operação, que teve 32 policiais federais e 9 servidores da Controladoria Geral da União (PF), cumpriu mandados de busca e apreensão também em São Sebastião do Passé, Lauro de Freitas, em São Paulo e no Espírito Santo. No ano passado, a Câmara de Vereadores de Candeias já tinha afastado Doutor Pitágoras, como é conhecido, por suposta irregularidade na compra dos respiradores. A Justiça Estadual, no entanto, suspendeu a investigação, e o prefeito retornou ao posto.
Com a Tribuna