Em Pelotas o Leão cai diante do Xavante

         



Por Zedejesusbarreto
Se na ida, na aeroporto de Salvador, a crise rubro-negra eclodiu com manifestação raivosa dos torcedores, acuando e xingando jogadores e treinador ... imaginem o retorno, depois de mais uma derrota (1 x 0 para o Brasil de Pelotas). Placar amargo, diga-se, até porque o Leão fez um bom segundo tempo, prensando o adversário e criando chances de empatar e virar o placar. Mas faltaram calma e competência nas finalizações.

*
Com o resultado, péssimo, o Rubro-negro baiano com seus 9 pontos em 12 rodadas, caiu para o 18 º lugar, afundando mais um pouco na zona do horror. É preciso muita calma nessa hora e tumultos, com o presidente Carneiro batendo testa com torcida uniformizada, só vão complicar ainda mais a situação.
O Brasil de Pelotas, com o ‘gude preso’, mesmo sem mostrar muita coisa, saiu da zona, chegou a 11 pontos, respira. O líder é o Naútico, com 25 pontos, seguido pelo Coritiba com 24. Mas a rodada segue.
*
Bola rolando
Estádio Bento Freitas, Pelotas/RS, céu limpo, frio, gramado verdinho, bem cuidado. Os donos da casa, o Xavante gaúcho, de vermelho e preto; o Vitória todo de branco.
Com quatro minutos, F. Neto já tinha cometido duas faltas nas proximidades de sua área, parando, matando lances perigosos; O Xavante assustando o Leão. Aos 9’, o mesmo Fernando Neto, já amarelado, foi derrubado nas proximidades da meia lua adversária; ele mesmo bateu e isolou.
Animado, com as duas equipes buscando a ofensiva, lutando para sair da zona de desconforto na tabela de classificação. Bola no chão. Parelho. O time de Ramon Menezes marcando forte, desde a frente, e com uma novidade: a dupla de laterais Roberto/Pedrinho pelo lado esquerdo. Além de um miolo de zaga jovem: Thalisson e Matheus Moraes.
- Aos 23 min, Fernando Neto sentiu fisgada no músculo da coxa e foi substituído; entrou Eduardo, o garoto promissor Dudu. Aos 30’, o zagueiro Thalisson sentiu dores no ombro e foi substituído por João Victor.
- Gol ! 1 x 0 Brasil, Vidal, aos 31 minutos, pegando rebote livre na linha da grande área, após cobrança de escanteio. A zaga rubro-negra com um a menos, no momento da troca/saída de Thalisson; desatenção total.
Aos 34’, Luis Fernando saiu, com lesão na coxa, para entrada de Jarro. Aos 37’, após bobeira de passe errado na defensiva xavante, bola roubada, Dinei ficou de cara com o goleiro mas demorou de definir e a zaga gaúcha bloqueou o chute. O Leão tentou por uma pressão no final. Bolas alçadas para o alto Dinei mas nada demais aconteceu e a bola parou aos 50 min. Intervalo.
O Brasil postou-se melhor em campo e atuou mais no campo adversário, na primeira etapa. Placar justo.
*
O Leão voltou dos vestiários com fome, mordendo. Logo com um minuto, num contragolpe rápido, Pedrinho perdeu na frente da pequena área a chance do empate. Aos 5’, mais um lesionado, músculo da coxa; saiu o zagueiro Artur Henrique entrou Alan Dias.
A equipe baiana insistia nas bolas alçadas. Numa delas, cobrança de falta, o goleirão gaúcho saiu catando borboletas, a testada de Matheus Moraes acertou a trave. Quase o empate, aos 10 minutos. O Leão apertava, atacava, dominava as ações com muita dedicação e correria em campo.
Trocas de Ramon, por volta dos 20’: Wesley, Eron, Bruno nos lugares de Roberto, Dinei e Bispo. No Xavante, Renatinho, Ueslei e Pierini em campo. Treinadores tentavam mudar o panorama: o Leão buscando mais ofensividade, o Xavante tentando reequilibrar o meio campo. Até os 25’ só deu o Vitória no ataque, intenso. O time da casa parecia mais cansado, acuado. Suportando apenas, encolhido.
- Aos 27’, cruzamento de Pedrinho, Wesley testou por cima. Aos 29’, David tentou de fora, colocado, Matheus Nogueira salvou. Só depois dos 30’ o Xavante respirou um pouco, conseguiu passar do meio-campo. E os baianos alçando bolas na área inimiga, insistindo. O tempo passando. O Xavante valorizava cada segundo. Aos 40’, num raro contragolpe, Jarro achou Ramon avançado, o chute saiu cruzado, Ronaldo catou bem.
Seis minutos de acréscimos, atletas gaúchos desabando em campo e... mais uma derrota do Vitória, a despeito do bom segundo tempo da equipe. Não faltou raça, mas ...
A pressão e a crise aumentam.
*
Escalações
- Brasil de Pelotas: Matheus Nogueira, Camilo, Vidal e Arthur Henrique; Gabriel, Denilson, Rômulo, Luis Fernando, Gabriel Terra e Kevin; Netto e Ramon. Treinador, Cláudio Tencatti.
- Vitória : Ronaldo, Cedric, Thallisson, Mateus Moraes e Roberto; Pablo, Gabriel Bispo, Fernando Neto e Pedrinho; David e Dinei. Treinador, Ramon Menezes.
- Arbitragem do Rio Grande do Norte, Leonilson Trigueiro no apito, sem ressalvas.
*
Próximo jogo
Pela 13ª rodada, o Leão recebe a Ponte Preta de Campinas, a Macaca, no Barradão; terça-feira, 21h30. O bicho vai pegar.
**
Série A
O Bahia joga contra o Flamengo, em Pituaçu, neste domingo, às 18h15.
**
Faltam 5 dias para a abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio em tempos de pandemia.

**
Foto: Grêmio Esportivo Brasil