Anvisa invade o gramado e interrompe o Brasil x Argentina

         



Por Zedejesusbarreto
Os agentes sanitários, alegando defender a legislação sanitária brasileira - que exigiria o isolamento de quatro atletas do país hermano - entraram no gramado alguns minutos depois do jogo iniciado, e suspenderam a partida, com suporte de agentes policiais federais. Segundo os agentes sanitários, os argentinos estariam burlando a legislação, descumprindo as exigências legais, não poderiam ter sido escalados.

Surpresa geral e o jogo foi suspenso.
Convidados na plateia, acordos previamente anunciados, estranhezas, entidades do futebol, atletas, mídia esportiva, patrocinadores e delegações ...
Foram quatro minutos de bola rolando e uma confusão geral a partir daí, como muito disse-me-disse, pronunciamentos, autoritarismos, cartolagens e presepadas mís.
*
Os nomes dos atletas envolvidos na confusão e que estavam em campo: o goleiro Martinez, o zagueiro Romero e o meio campo Lo Celso. Eles teriam dados informações falsas para entrar no país e atuar, fugindo de uma ‘quarentena’ exigida.

**
Gramado tomado pelos estranhos de paletó preto e gravata, os argentinos desceram todos para os vestiários (Messi veio a campo confabular com os ‘amigos’ brasileiros) e decidiram não voltar para o jogo. Houve muito papo, confabulações e risos entre os atletas brasileiros e argentinos na pista e na boca do túnel e nos corredores às portas dos vestiários.
- Uma hora depois da paralização, os brasileiros, que ficaram em campo, ficaram fazendo um treinamento coletivo.
Bagunça e frustração geral. Vergonheira.
*
Um comitê da Fifa será formado para decidir o que fazer. O Brasil ganharia os pontos porque a Argentina abandonou o gramado? Punição aos Hermanos? Nova data e uma nova partida?

**
Neo Química Arena/SP
Seria no estádio do Corínthians, palco da 6ª rodada da competição, o maior clássico sul-americano, rivalidade histórica. O Brasil com a amarelinha e os Hermanos na tradicional azul e branco. Gramado nos trinques.
Com bola rolando ...
- Tite mexeu no miolo de zaga: Militão no lado esquerdo e Lucas Veríssimo na direita. Não seria mais simples pôr Miranda no lugar de Marquinhos?
A despeito da amistosidade entre os atletas antes do jogo, algumas entradas duras logo que a bola rolou ... daí, o que aconteceu?
*
O circo !
Então, apareceu em campo, de repente, um pessoal (otoridades) da Anvisa para paralisar a partida, por questões de segurança sanitária/ Covid 19. Invadiram o gramado. Uma presepada, um papelão. Vergonha !!!
Quanto tempo tiveram antes para resolver as pendengas? A delegação da Argentina está no Brasil desde a sexta-feira. Mania de aparecer, de dizer que é autoridade, que manda?
A Fifa, a Conmebol e a CBF teriam liberado e autorizado a partida, com anuência e acordo do Governo Federal. É o que se sabia e foi confirmado pelo diretor da CBF em entrevista, ao vivo, o baiano Ednaldo Rodrigues.
*
Tudo por conta de quatro atletas argentinos que moram na Inglaterra e teriam omitido informações às autoridades (?) de fiscalização no aeroporto brasileiro, e teriam de voltar, não poderiam entrar no país, por questão de risco de contaminação, segundo as autoridades.
Ora, contaminação maior aconteceu com o tumulto, a aglomeração no campo e nos vestiários provocada pelos supostos agentes sanitários da Anvisa.
*
E quanto tempo tiveram todos para resolver isso antes de a bola rolar ! Lamentável. Vergonha internacional. Os ‘aparícios’ ! Os (des)organizadores! A bagunça sul-americana.
- Os atletas argentinos retiraram-se para os vestiários dispostos a não jogar, por decisão da AFA, enquanto não liberassem os jogadores Hermanos que vinham jogando e viajando com a delegação. E os outros jogos da competição?
*
Imagens dos corredores dos vestiários, cheios, todo mundo aglomerado, muitos sem máscaras. Um mangue geral.
**
Repercussão internacional. Falava-se até em punição do Brasil, pela FIFA, por ter permitido que pessoas estranhas ao espetáculo entrassem em campo.
Vejam que confusão dos diabos. Surreal.
*
Diga-se: os jogadores nada têm a ver com isso.
*
Escalações
- Brasil : Wéverton, Danilo, Militão, Lucas Veríssimo e Alex Sandro; Casemiro, Paquetá, Gérson e Everton Ribeiro; Neymar e Gabigol. Treinador, Tite.
- Argentina : Martinez, Manzuel, Otamendi, Romero e Acuña; DePaul, Paredes, Lo Celso, Di Maria e Messi; Lautaro Martinez. Treinador, Lionel Scaloni.
- Arbitragem venezuelana, com Jesus Valenzuela no apito e VAR.
*
Próximo jogo do Brasil está previsto contra o Peru, na terça. Acontecerá?
**
Foto CBF