Encontro Poderoso reúne Orquestra Afrosinfônica e Ilê Ayiê





Um poderoso encontro acontece no próximo dia 24 de setembro, sexta-feira, a partir das 21h. Sobem ao palco da Senzala do Barro Preto, no Curuzu, para realizar um concerto, a Orquestra Afrosinfônica, sob o comando do maestro Ubiratan Marques e o Bloco Afro Ilê Aiyê. O concerto faz parte da série de encontros propostos pelo projeto que nasceu na Casa da Ponte, organização social comandada pelo maestro Ubiratan Marques, projeto selecionado pelo Petrobras Cultural.

No espetáculo, que será transmitido pelo canal do Youtube TvdaPonte, a Orquestra Afrosinfônica abre executando músicas de seus dois álbuns “Branco” e “Orin – A Língua dos Anjos”. Em seguida convida a percussão do Ilê Aiyê, que é regida pelo maestro Mário Pam, para tocar a composição inédita “Luz Lilás”, de Juracy Tavares, Nem Cardoso e Ubiratan Marques. “Luz Lilás” fala da orixá Nanã, mãe e avó, e é também uma homenagem à bisavó do maestro Ubiratan, Carolina de Nanã, que o colocou nos caminhos da música. O concerto prossegue, com todos no palco – Orquestra Afrosinfônica, bateria do Ilê Aiyê e todos os segmentos artísticos do bloco afro - com a execução das canções “Canto da Cor”, “Negrume da Noite”, “Diferentes, Mas Iguais”, “Negras Perfumadas” e é encerrado com a música “Depois que o Ilê Passar”. 

 

Estrada juntos – O maestro Ubiratan Marques tem uma relação de quase 40 anos com o bloco afro Ilê Aiyê. Fundador da Banda Reflexu´s, uma das grandes intérpretes das canções que embalaram os blocos afros a partir da década de 80, ele conta que ficava na sede do Ilê recebendo os compositores, ouvindo as músicas e selecionando o repertório dos álbuns que foram gravados na época. Por isso a escolha do repertório para o concerto da Afrosinfônica com o Ilê Aiyê foi muito fácil, revela o maestro: “eu já tinha minhas músicas prediletas lá de trás. Eu escolhi obras que foram gravadas pela Banda Reflexu´s, que tinham arranjos meus e eu só fiz orquestrar. 

 

Na verdade Ubiratan Marques tem uma relação de amizade com muitos dos integrantes do Ilê Aiyê. O maestro Mario Pam, por exemplo, que é o mestre da bateria do Ilê, é professor do Núcleo Moderno de Música da Casa da Ponte. “Estes encontros e reencontros com estas pessoas que são tão familiares, são irmãos, são pessoas que parece que você já conhece há mil anos, que parece que você já viveu muitos momentos da sua vida com todos eles, só nos fortalecem”, afirma o maestro, que revela que realizar o concerto fica ainda mais fácil, porque o que une todos é a música. “Ela é a grande protagonista, tudo é feito em torno dela e todos têm de compreender o que ela quer de nós”, afirma.  

 

Aprendizado ancestral - A Orquestra Afrosinfônica já realizou, através do projeto de concertos gratuitos, o encontro entre a Afrosinfônica e o Bloco Afro Malê Debalê, em Salvador, em novembro de 2019 e em Recife, em dezembro de 2019, com o Nação Maracatu Estrela Brilhante. A série de concertos será encerrada em Belo Horizonte, com a Guarda de Congo Irmandade Nossa Senhora dos Rosários – Os Ciriacos, com participação especial de Sérgio Pererê.

Destes encontros, toda a orquestra tira muito aprendizado. “Dividir o palco com todos estes grupos afrodescendentes é só gratidão. Nós somos fruto, somos resultado destas manifestações. Eles são nossa grande referência, nossa maior inspiração “, revela o maestro Ubiratan que afirma que realizar concertos com estes grupos é  dialogar com o fundamento da música brasileira, que norteia a identidade e os princípios da Orquestra Afrosinfônica.

 

Concerto da Orquestra Afrosinfônica com o Bloco Afro Ilê Aiyê

Realização: Casa da Ponte

Apoio: Associação Cultural Ilê Aiyê

Patrocínio: Petrobras / Governo Federal

Lançamento: dia 24 de setembro, às 21h, na TvdaPonte (Canal YouTube)

 

Assessoria de Imprensa da Afrosinfônica – Doris Pinheiro – 71 98896-5016

 

Sobre a Orquestra Afrosinfônica - Sob o comando do maestro Ubiratan Marques, que realiza os trabalhos de composição, orquestração, criação de arranjos sinfônicos e regência, a Orquestra Afrosinfônica se expressa a partir de uma abordagem erudita decorrente de pesquisas sonoras e conceitos intimamente ligados à música afro-brasileira. Antes criando arranjos que dialogavam com os ritmos e cantos próprios de cada orixá, os pontos de candomblé, hoje a orquestra se expressa a partir de poemas sinfônicos.

Reunindo 22 músicos e estruturada por piano, percussões popular e sinfônica, naipes de sopro e cordas, e por um coro feminino, a orquestra leva o conceito “afrosinfônico” às últimas consequências pela consciência do processo cultural da diáspora africana e pelo processo de pesquisa e estudo de repertório, criação de arranjos sinfônicos e expressão que se pretende extrair de cada instrumento.

Regência: Maestro Ubiratan Marques

Em atividade desde: 2018

Sede: Casa da Ponte - Largo do Pelourinho, 10

Último Álbum: ORIN – a língua dos anjos

(disponível nas plataformas digitais: https://lnkfi.re/OrquestraAfrosinfonica)

 

Mais Informações Orquestra Afrosinfônica:

https://casadaponte.org.br/nucleos-casa-da-ponte/orquestra-afrosinfonica/

https://www.afrosinfonica.org.br/a-orquestra

 

Sobre a Casa da Ponte - A Organização Social Casa da Ponte nasceu em 2010 a partir da trajetória do maestro Ubiratan Marques, seu presidente, e é conduzida pela crença na transformação através da cultura, da memória e da preservação de nossos patrimônios.Dedicada à educação, cultura, diálogos e fruição, abriga a Orquestra Afrosinfônica, a Orquestra Sinfônica Popular Jovem Brasileira, o Núcleo Moderno de Música – NMM e realiza diversos projetos socioculturais. Sua sede é no Largo do Pelourinho, 10.

Mais Informações Casa da Ponte:

https://casadaponte.org.br

 

TVdaPonte

Canal YouTube

Link: https://www.youtube.com/TVdaPonte

 

Sobre o Ilê Aiyê - O Ilê Aiyê, ou Ilê, é o primeiro bloco afro do Brasil e se consolidou como uma das expressões culturais do Carnaval de Salvador. Fundado em 1974 por moradores do bairro do Curuzu, constitui um grupo cultural que promove a expansão da cultura de origem africana no Brasil. (Wikipédia)

Em atividade desde: 1974

Sede: Senzala do Barro Preto, Curuzu