Com investimento de R$ 4,6 milhões, Embasa conclui recuperação de trecho de interceptor de esgoto em Piatã





Entre os investimentos realizados pela Embasa em manutenção e recuperação de suas redes de água e esgoto na capital, a empresa concluiu, neste mês, a recuperação de cerca de 450 metros de interceptor, tubulação de grande porte que transporta esgoto, na avenida Octávio Mangabeira, na orla de Piatã. Para executar o serviço sem grandes impactos no trânsito da cidade, principalmente em avenidas com intensa circulação como essa, foi utilizado um método não-destrutivo pelo qual grande parte do trabalho é executado no subsolo.

 

Representando um investimento de R$ 4,6 milhões, o trecho recuperado integra os cerca de 2,8 quilômetros de interceptores do sistema de esgotamento sanitário (SES) de Salvador que serão recuperados até 2022, no valor total de R$ 35 milhões. Os interceptores são tubulações de grande porte que recebem e transportam esgoto doméstico das redes coletoras ao longo de seu comprimento até a estação de condicionamento prévio (ECP). Atualmente, estão em andamento serviços de recuperação em trechos localizados na parte interna de Piatã, nas ruas Yemanjá, Dias Gomes, Piracema e Guaraçaíma, num total de 1.200 metros.

 

De acordo com o gerente de elevatórias e transporte da Embasa, Sinval Garcia, a técnica de método não-destrutivo aplicada na recuperação dos interceptores é alemã e consiste na impregnação de manta de fibra de vidro nas paredes da tubulação a ser recuperada, criando uma nova tubulação internamente. Ela possibilita a recuperação da tubulação com o mínimo de impacto, pois o sistema de esgotamento permanece operando normalmente, já que o fluxo é desviado por meio de tubulações provisórias e bombas de by-pass.

 

O trabalho de recuperação também reabilitou os poços de visita deste trecho do interceptor com reparos estruturais e aplicação de fibra de vidro, provendo maior durabilidade e resistência ao equipamento.

 

"Essas ações têm caráter preventivo, pois garantimos, assim, maior confiabilidade operacional ao sistema de esgotamento" explica o gerente da Unidade de Esgotamento, Wladmir Conceição.