Manifestações contra o governo Bolsonaro ocorrem em diversas capitais neste sábado





Manifestações de protesto contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ocorrem neste sábado (2) em diversas cidades brasileiras. No Rio de Janeiro, os manifestantes começaram a se concentrar na Candelária, região central da capital, por volta das 10 horas.

Por volta das 10h30, os manifestantes começaram a caminhar pela avenida Presidente Vargas, que já está interditada para veículos. A expectativa é que eles caminhem até a Cinelândia, onde há um palco montado. O deputado federal Marcelo Freixo (PSB) participa do ato nesta manhã.

Os atos de hoje contam com a adesão de mais de 20 legendas partidárias. Segundo os organizadores, há eventos confirmados em 251 cidades brasileiras e em 16 países. Em Salvador, os manifestantes já caminham da praça do Campo Grande em direção à praça Castro Alves, onde devem chegar por volta das 12 horas.

Já em Fortaleza, a concentração de pessoas começou por volta das 8 horas deste sábado. Perto das 11h, os manifestantes já saíram em caminhada da praça da Bandeira, onde se concentravam, até a praça do Ferreira, na região central da capital.

As principais lideranças políticas, além de artistas, devem se concentrar na Avenida Paulista, região central de São Paulo, a partir das 13h (horário de Brasília). A abertura da manifestação na capital paulista será feita por líderes de diversas religiões.

Candidato do PT em 2018, o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad, assim como os presidenciáveis Luiz Henrique Mandetta (DEM) e o senador Alessandro Vieira (Cidadania), confirmaram presença na Paulista. Também provável candidato em 2022, Ciro Gomes (PDT) anunciou que estará nos atos em São Paulo e no Rio de Janeiro. O governador de São Paulo, João Doria, não comparecerá por estar em campanha das prévias do PSDB, em Minas Gerais.

Em Salvador, os atos ocorrem no centro da cidade, onde os manifestantes, com faixas e cartazes, pedem a saída do presidente desde às 9h da manhã. Há registro de manifestações em mais de trinta cidades baianas.
Foto: O Globo