Psicoterapeuta alerta para fatores emocionais ignorados que podem desencadear surto psicótico





Os casos de surtos psicóticos têm se tornado cada vez mais frequentes na Bahia. Conforme explica o psicólogo e psicoterapeuta Clebson Ribeiro, muitos desses comportamentos inesperados estão associados a fatores preveníveis que, muitas vezes, são ignorados por quem está ao redor da pessoa.

“Nessa pandemia, muitos problemas estão surgindo, entre eles, os surtos psicológicos, tendo como principais gatilhos problemas pessoais e pressões do trabalho. Por isso é importante não só cuidar da nossa saúde mental, mas também observar as pessoas ao nosso redor, que podem estar precisando de ajuda nesse momento”, explica o psicoterapeuta.

As psicoses têm como características delírios e alucinações, que podem estar diretamente ligadas a traumas de infância ou eventos emocionais vivenciados em alguma etapa da vida da pessoa.

“O surto psicótico diz muito sobre o mundo interno da pessoa e sobre as dificuldades que ela tem de trabalhar com essa realidade. Por isso, a psicoterapia é muito importante para que a pessoa nesse estado aprenda a lidar com suas fantasias e que possa ao mesmo tempo trabalhar com os conteúdos do meio externo”, orienta Clebson Ribeiro.

Surtos psicóticos na Bahia

Pelo menos três casos relacionados a surto psicótico ganharam repercussão na Bahia este ano. No último domingo (3), um policial militar ficou nu e atirou contra o chão, na cidade de Feira de Santana.

Em Salvador, no dia 28 de março, outro policial com um fuzil e uma pistola atirou para cima em frente ao Farol da Barra. Também na região da Barra, no dia 11 de setembro, um homem foi flagrado caminhando nu segurando uma faca e uma galinha e falando palavras desconexas.

“Muitos problemas podem ser evitados quando temos uma preocupação e cuidado com o ser humano. Equilíbrio emocional, humanidade, paciência e um governo que se preocupe com o povo é o que mais estamos precisando nesse momento caótico”, ressalta o psicoterapeuta.