Novo diretório do PCdoB Bahia promete mais diversidade





O novo comando do PCdoB na Bahia promete trazer mais diversidade e inclusão. O presidente estadual do PCdoB na Bahia, Davidson Magalhães, foi reconduzido ao cargo durante a Conferência Estadual do Partido, realizada no fim de semana.  A decisão foi tomada pelos delegados e delegadas de todo estado, que elegeram ainda mais 119 nomes que vão compor o novo Comitê Estadual, para o biênio 2021/2023.

O novo Comitê Estadual eleito, a partir de uma proposta feita pela direção cessante, é composto por 120 integrantes e tem a marca da diversidade. Foi garantida a presença de lideranças de todo o estado e com atuação em diversas lutas, entre os movimentos indígena, de trabalhadores e trabalhadoras, ambientalista, de cultura, de combate ao racismo, LGBTQIA+ e de mulheres, entre outros.

O resultado da eleição do novo Comitê Estadual do PCdoB-BA garantiu também um avanço na participação de mulheres, que passou de 36%, no último biênio, para 45%, em uma tentativa de alcançar a paridade de gênero. Na gestão cessante, dos 101 integrantes, 37 eram mulheres; no novo, são 54, entre os 120 novos membros eleitos.

Segundo o vice-presidente do PCdoB-BA, Geraldo Galindo, existe um entendimento no coletivo partidário de que é preciso tornar, cada vez mais, igualitária a atuação comunista no estado. “A paridade [de gênero] nós vamos conquistando aos poucos. Na próxima conferência, já deveremos conseguir”, disse.

Após o anúncio do resultado, Davidson destacou os desafios do próximo mandato. Para ele, é preciso confirmar o partido como "uma das referências políticas do país na consolidação da democracia e na luta pela retomada do Brasil para os brasileiros e pela derrota da onda neofascista representada por Bolsonaro". Além disso, Davidson também defendeu a necessidade de manter o PCdoB como um partido com protagonismo e amplitude política. “São desafios para os próximos dois anos de mandato e o desafio nacional do nosso centenário. Não é à toa um partido chegar a 100 anos no Brasil, enfrentando duas ditaduras e estando presente nos grandes acontecimentos históricos do século passado e deste século”, disse.

O presidente do PCdoB ainda destacou, na ocasião, a participação protagonista do partido no novo momento político do estado, a partir da eleição do ex-governador Jaques Wagner (PT). “O PCdoB tem dado uma contribuição quer na militância política, quer no governo, com secretários e dirigentes de estatais. É a nossa contribuição também para o povo baiano”, afirmou.
Da Tribuna