Deputado bolsonarista nega vazamento e diz que denúncia o alertou sobre inquérito divulgado por Bolsonaro





O deputado Filipe Barros (PSL-PR) afirmou em depoimento à Polícia Federal que soube da existência do inquérito do ataque hacker ao Tribunal Superior Eleitoral por uma denúncia que chegou à comissão do voto impresso.

O parlamentar também disse que a investigação divulgada por ele e o presidente Jair Bolsonaro em entrevista em 4 de agosto não estava sob sigilo.

Barros e o Bolsonaro são investigados no inquérito aberto após o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, receber uma notícia-crime do Tribunal Superior Eleitoral e ordenar a apuração.

Como mostrou a coluna Painel, da Folha de S.Paulo, a PF mira a responsabilidade pela divulgação dos documentos e, também, como o deputado soube da existência do caso na superintendência no Distrito Federal.

A PF pediu ao STF mais prazo para concluir o caso. O depoimento de Barros foi tomado na sexta-feira (1).
Da Folha