Vitória goleia o Brasil de Pelotas mas ainda não saiu da zona





Por Zédejesusbarreto
A equipe treinada por Wagner Lopes, recheada de garotos, certamente fez o seu melhor jogo, desde a chegada do técnico. Um primeiro tempo bonito de ver, em alta velocidade, impondo ritmo, senhor do meio campo e 3 x 0 no placar. O torcedor vibrou, agora mais confiante. Na segunda etapa, o Vitória diminuiu o ímpeto, administrou bem, não perdeu o controle da partida e chegou aos 4 x 0 sem levar sustos. Um triunfo convincente, enfim jogando bem.

O resultado, no entanto, não foi suficiente para o time sair da zona do sufoco. Chegou a 32 pontos ganhos mas está ainda no 18º lugar, atrás do Londrina, que ainda joga na rodada, e à frente do Confiança e do próprio Brasil de Pelotas, esse praticamente rebaixado. E a rodada ainda segue.
*
No Barradão
- Um jogo de desesperados, pela 31ª rodada. Duelo de rubro-negros. O time gaúcho na lanterna, com apenas 20 pontos ganhos e o Leão baiano na vice-lanterna, a penúltima colocação com 29. Um nas últimas, o outro ainda respirando, com aparelhos.
Uma tarde de sábado nublada, abafada, a volta do público, diminuto (pouco mais de duas mil pessoas presentes), torcedores espaçados nas arquibancadas. Um gramado em boas condições, a despeito das chuvas sobre a cidade desde a quinta. O Vitória de branco e o Brasil/RS de vermelho e preto.
*
Com bola rolando ...
Começou animado. Com um minuto, já dois lances de área perigosos, lá e cá. Pegado também, as duas equipes matando as jogadas adversárias com falta. Numa delas, aos 4 minutos, Rildo bateu colocado, a bola raspou o poste de Lucas Cândido, assustando. Os donos da casa tomando as iniciativas, ocupando mais a zona de ataque. Ritmo intenso.
- Aos 19’, boa intervenção do goleiro Marcelo, nos pés de Fabinho. Aos 21’, num bom contragolpe, Marcinho finalizou colocado, da entrada da área, Marcelo espalmou, elástico. Aos 23’, Bruno livrou-se da marcação pelo meio, invadiu e finalizou rasteiro; errou o alvo por pouco. O Vitória melhor, bem distribuído em campo.
- Aos 33 minutos, saiu Bruno, o melhor e mais criativo jogador em campo (machucado na coxa), entrou Caíque.
- Gol ! 1 x 0 Vitória, Fabinho, aos 36 minutos. O garoto recebeu na meia lua, marcação frouxa, ajeitou e bateu firme, rasteiro, de canhota, acertando o canto de Marcelo, abrindo o placar.
- Gol ! 2 x 0, David, aos 37’. Mal deu a saída, os gaúchos ainda zonzos, sentindo o golpe, bola roubada, enfiada, David entrou em velocidade pelo meio e bateu firme, colocado, na saída do goleiro.
- Aos 42’, em boa e rara trama ofensiva do time gaúcho, Rildo acertou a trave e, na sequência, Wálison exigiu ótima defesa de Lucas Arcanjo.
Aos 45’, Roberto bateu falta da intermediária, forte e o zagueiro Artur interceptou a passagem da bola com o braço. O VAR flagrou e o árbitro marcou a penalidade e deu cartão amarelo para o zagueiro.
- Gol ! 3 x 0. Roberto bateu com classe, sem chances pro goleiro.
*
Muito bom, um consistente o primeiro tempo do Vitória, impondo-se. Talvez tenha sido a melhor etapa da equipe em toda a competição. Ganhou o meio campo, jogou com objetividade, aproveitando a velocidade de seus jovens avantes. Bruno, Marcinho, Eduardo e João Pedro jogaram muito, formaram uma meiúca lépida e com profundidade. O Brasil de Pelotas não achou a bola. O placar (3 x 0) diz tudo.
*
O treinador Jerson Testoni trocou dois no vestiário, precisava mostrar a que veio, tentar alguma coisa, reagir.
Mas o Leão retornou aceso, não recuou, continuou no comando das ações, tocando, trocando passes no campo inimigo, marcando duro, mas já sem muita pressa, administrando o resultado. Aos 13’, uma cabeçada de Erisson, buscando o canto, assustou o goleiro Lucas Arcanjo.
Era outro ritmo na segunda etapa. Wagner Lopes mexeu aos 23 minutos, pondo sangue e fôlego novos em campo: Fernando Neto, Alisson e Van entraram nos lugares de Eduardo, Fabinho e Raul Prata. Era preciso manter o controle do jogo, sem riscos. O time gaúcho não ameaçava, não exercia pressão. Aos 30’, Marcinho recebeu livre na área e por muito pouco não ampliou.
- Gol ! 4 x 0 , David de cabeça, aos 37’, em velocidade na área inimiga, testando forte um preciso cruzamento de Roberto, da esquerda.
Aos 42’, uma boa defesa de Lucas Cândido, a queima roupa. Aos 43’, Marcinho bateu cruzado da esquerda, raspou. Um ótimo resultado, pelos três pontos, pela boa primeira etapa da equipe, e o alento, renovação de confiança no seio da torcida.
*
Escalações
- Vitória : Lucas Arcanjo, Raul Prata (Van), Wallace (Thalisson), Matheus e Roberto; João Pedro, Eduardo (F. Neto), Bruno (Caíque); Marcinho, Fabinho (Alisson) e David. Treinador, Wagner Lopes.
- Brasil de Pelotas : Marcelo, Vidal, Artur (Everton), Alan Dias (Souza) e Kevin; Diego Gomes (Patrick), Bruno Matias (Welisson), Rildo (Leandro) e Renatinho (Caio); Erisson e Neto. Treinador, Jerson Testoni.
- Arbitragem de Heber Roberto Lopes, com auxílio do VAR.
**
Pela 32ª rodada, o Vitória encara a Ponte Preta, a Macaca de Campinas, no sábado, dia 30, às 16h, lá. Mais difícil, nada impossível.
**
Pela Série A, o Bahia recebe a Chapecoense (lanterna) na Fonte Nova neste domingo, dia 24, às 20h30. Com público, regrado. Só o triunfo satisfaz.
**
Pra fechar, parabéns ao senhor Edson Arantes do Nascimento, 81 anos, por ter nos dado Pelé, eterno rei. O mundo inteiro é agradecido pela sua arte com a bola nos gramados. Viva o Rei.
*
Louvemos também a moça Rebeca, ginasta, que arrebentou na Olimpíada e já arrebatou duas medalhas (ouro e prata) em competições de ginástica artística no Mundial que acontece no Japão. Ela promete mais. É um fenômeno. E é linda.
**