Vitória perde em casa pro CSA e já namora com a terceirona





Por Zedejesusbarreto
Seria o jogo da redenção, da esperança ou confiança em sair da zona da degola, mas ... o time em campo não teve competência para golear, vencer. Levou um gol (1 x 0), duas bolas na trave, perdeu pênalti e abusou de alçar bolas e finalizar mal, desperdiçando chances, uma depois da outra, mesmo atuando com um jogador a mais a partir dos 20 minutos do segundo tempo. O torcedor, em bom número, saiu frustrado.

Frustrado e muito preocupado, porque o time estacionou na zona de baixo (há 17 rodadas) e tem jogos difíceis, muito duros nesse retão final de competição. As possibilidades de o Vitória cair para a Série C aumentaram muito com esse resultado. Tudo ainda pode piorar com os jogos de Brusque e Londrina, ambos com 35 pontos., que podem se distanciar mais do Vitória na tabela de classificação.
O CSA, por sua vez, com dois resultados positivos seguidos fora de casa, encostou na turma de cima, está em 5º lugar com 51 pontos ganhos. Na briga pra subir.
*
Barradão
Tarde limpa de 2 de novembro, finados, alegria e batucada nas arquibancadas, a volta do torcedor aos estádios, aos poucos, depois da pandemia. Gramado em perfeitas condições.
O Rubro-negro baiano na luta para sair da zona da degola, onde patina a mais de 15 rodadas; entrou em campo em 18º lugar com 33 pontos ganhos. O time da casa com seu padrão branco (inteiro) e o visitante CSA em azul e branco, camisas listradas.
*
Com bola rolando ...
Começou muito estudado de parte a parte. O Vitória mais ansioso, saindo mais pro ataque, alçando bolas na área inimiga. O time alagoano mais cauteloso, cadenciando mais, tentando trocar passes. Muita marcação no meio campo. Até os 15’, nenhum chute a gol.
- Aos 6’, Delatorre arriscou a primeira, forte, da entrada da área, para uma defesa salvadora de Lucas Arcanjo, espalmando no canto a bola a meia altura. Aos 18’, a resposta do Leão, numa testada de David para defesa plástica de Thiago, bela ponte. Aos 20’, outra bola alçada, e a testada de João Pedro, em cima do goleiro.
O Vitória era melhor, tomava as iniciativas, mas não mostrava eficácia nas finalizações. Com o tempo passando, aos poucos os alagoanos foram equilibrando, valorizando a posse de bola ...
- Gol ! 1 x 0, CSA, aos 33 minutos. Boa trama pela direita, cruzamento de Everton, a testada forte e inapelável de Iuri Castilho, livre, na frente da pequena área, acertando o canto.
O Leão sentiu o golpe, já não tinha o domínio do meio campo, e o torcedor também na arquibancada, já cobrando. Aos 42’, Bruno desperdiçou um arremate, livre na grande área inimiga, pegou mal na bola. Aos 46’, após uma rebatida do goleiro Thiago numa bola alçada, Marcinho tentou, pra fora.
*
O Leão começou rosnando, fustigando, ameaçando, mas não conseguiu golpear e, aos poucos, foi quebrando o ímpeto. A CSA na manha, sem pressa, criou duas chances, uma com Delatorre, Lucas salvou, e na outra marcou. Foi mais eficiente.
*
Ao Vitória, no segundo tempo, era o tudo ou nada. Buscar o gol e o triunfo, a qualquer custo. O CSA fechadinho, sem pressa, apostando no erro do adversário, o contragolpe para definir. O torcedor inquieto. Aos 4’, após um erro de passe na saída defensiva rubro-negra, Cajá teve a chance do arremate, na frente da grande área, mas bateu alto.
Aos 5’, numa bola alçada para o lado direito, Raul Prata disputou com o zagueiro Kevin e houve o toque de mão na área do defensor alagoano. O árbitro deu pênalti. Roberto cobrou a penalidade, sem muita convicção, e o goleiro Thiago acertou o canto, fez a defesa, no seu lado esquerdo.
O Rubro-negro lançou-se inteiro ao ataque e abriu muito espaço para as investidas em contragolpe do CSA. Aos 17’, Delatorre levou a marcação, pela esquerda, bateu forte, Lucas Aracanjo salvou; na sequência, Everton acertou um balaço no poste do rubro-negro, quase o CSA ampliou.
Aos 22’, numa dividida com Roberto, na linha de fundo defensivo baiano, Everton atingiu o adversário com o braço e o árbitro o expulsou. O CSA com um atleta a menos em campo e o Vitória com toda .
Aos 30’, Thiago salvou no canto o chute de Soares. Aos 35’, oura vez a trave salvou o gol do CSA, no tiro de Giva, da direita, depois de costurar a marcação. O Leão todo em cima, só alçando bolas, e os alagoanos atrás, suportando, se safando, com um a menos em campo. Pressão até o final, vaias das arquibancadas.
O torcedor saiu frustrado do Barradão. Uma derrota, desastre.
*
Destaques
Eduardo, o melhor do Vitória, disparado, o mais lúcido. |Solitário.
O CSA foi estratégico. Bom goleiro, uma zaga que não brinca, Delatorre na frente incomodando.
*
Escalações
- Wagner Lopes mandou a campo: Lucas Arcanjo, Raul Prata, Wallace, Thalisson e Roberto; João Pedro, Eduardo (Alisson), Bruno (Soares); Fabinho (Caíque), David (Manoel) e Marcinho (Samuel).
- O CSA de Mozart Santos: Thiago, Everton, Mateus Felipe, Lucão, Kevyn; Yuri (Clayton), Geovani, Cajá (Tonini), Gabriel (Giva Santos); Iuri Castilho (Marcos Tulio) e Delatorre (Wellington).
- Arbitragem de Rodrigo Raposo, do DF, com VAR.

*
Pela 34ª rodada, retão final da competição, o Vitória joga em Santa Catarina; enfrenta o Avaí no Ressaca, na sexta-feira próxima, às 19h. O Avaí está entre os quatro primeiros da competição.
**
Outros jogos do dia :
Série B : Cruzeiro 1 x 1 Vila Nova; Brasil de Pelotas 0 x 1 Avaí; às 19h, Remo x Londrina
e Brusque x Náutico. Às 21 h, Coritiba x Operário.
Pela Série A, jogo atrasado, Athlético/PR 2 x 2 Flamengo.
**
Série A
Pela 30ª rodada, o Bahia recebe o São Paulo na Fonte Nova, com torcida, no domingo, às 18h15.
**
Foto: EC Vitória/Pietro Carpi