Feira de saúde beneficia pessoas em situação de vulnerabilidade social





Setenta cidadãos atendidos em três Unidades de Acolhimento Institucional (UAIs) da Prefeitura participaram, na sexta-feira (12), de uma feira de serviços de saúde, no Centro Estadual de Educação Profissional, Formação e Eventos Isaías Alves (Iceia), no Barbalho. Promovida pela Secretaria de Promoção Social, Combate a Pobreza, Esporte e Lazer (Sempre), a iniciativa foi realizada em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Barbalho, e com o Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS).

 

Foram beneficiados com a ação os ingressos UAIs Adra I e II, situadas no Barbalho, e a UAI Adra III, localizada nos Barris. O público teve acesso a serviços como aferição de pressão arterial, verificação de glicemia, orientações de saúde bucal com a oferta de kits para higiene, teste rápido para detecção de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), auriculoterapia e corte de cabelo. A programação reuniu também palestras sobre orientação nutricional, tabagismo e cuidados com a saúde feminina e masculina, em alusão às campanhas Outubro Rosa e Novembro Azul.

 

Ivanildo dos Santos Costa, 43 anos, está acolhido na unidade da Adra localizada no Barbalho. Ele contou que a feira de serviços possibilitou que ele resolvesse várias pendências relacionadas à saúde, e que estão sendo parte do próprio processo de transformação na sociedade. “Estou há um bom tempo sem usar entorpecentes e acredito que já me livrei disso. Aproveitei para cortar meu cabelo porque pretendo fazer entrevistas de emprego para mudar a minha vida. Além do mais, a aparência bem cuidada faz a gente se sentir muito bem”, contou.

 

Para a coordenadora da Adra I, Maiza Borges, a maior contribuição da feira de serviços é possibilitar um olhar diferenciado da comunidade sobre os acolhidos. “Eles são um público que é marginalizado e discriminado. Queremos integrá-los com a comunidade e a escola tem sido essa ponte. Além de tudo, este envolvimento desperta neles o sentimento de retomar os estudos e estamos alinhando para que possam, se assim desejarem, voltar a estudar”, contou.

 

Os presentes tiveram ainda a possibilidade de realizar atendimento psicossocial. A psicóloga Uila Sodré, do INTS, explicou que a proposta deste atendimento é que o público possa ter uma escuta qualificada e de acolhimento, além de informações sobre a Rede de Atenção Psicossocial (Raps) disponível gratuitamente pelo SUS. “Aqui eles podem contar suas angústias sem julgamento de valor, sem procurar culpados nas suas histórias. Os acolhidos convivem com muitas pessoas, mas nem sempre podem desabafar”, finalizou.

 

Funcionamento – As Unidades de Acolhimento Institucional atendem de forma provisória pessoas em situação de rua. Por meio das estruturas, os cidadãos acolhidos recebem escuta especializada, orientação e encaminhamentos para a rede de serviços públicos, participam de atividades de convívio, ações voltadas à inserção em projetos e programas de capacitação e preparação para o trabalho, entre outras atividades. A lista de UAIs podem ser conferida no site www. sempre. salvador. ba. gov. br .

gram @perpp_uesc e @zina.zcb99 . No Youtube, faça sua inscrição no canal Departamento de Ciências Econômicas - Uesc e ative as notificações