Não à censura ao ENEM





Por Paulo Jeronimo
Sem o menor respeito ao futuro de milhões de jovens, o desgoverno Bolsonaro, desde o seu início, atua para desmontar o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP), órgão responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

As pressões para alterar a prova sem respaldo técnico ou pedagógico, além do assédio moral da presidência do INEP, levou a que 37 profissionais do Instituto, boa parte deles envolvida na elaboração da prova deste ano, pedissem demissão de seus cargos.
Ao comentar a crise no Inep, o presidente Jair Bolsonaro, cinicamente, disse que “Agora, começam a ter a cara do governo as questões da prova do ENEM.”

A afirmação de Bolsonaro comprova que, por motivos ideológicos, questões têm sido censuradas, conforme matéria da revista Piauí, como uma tirinha da Mafalda, a personagem em quadrinhos do cartunista argentino Quino, conhecida no mundo inteiro, originalmente publicada há 50 anos, retirada do Enem de 2019.

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) protesta contra o desmanche do INEP, o rebaixamento ideológico do ENEM e repudia a censura, que afronta a Constituição Federal e o Estado Democrático de Direito.
-------------------------------
Presidente da ABI