Galo sagra-se Campeão Brasileiro duas vezes nesta temporada





Por Zedejesusbarreto
Depois de vencer com sobras o Campeonato Brasileiro/ Série A, o Atlético Mineiro detonou o Athlético Paranaense, Campeão da Sul-Americana 2021, na Arena da Baixada, por 2 x 1 e um show de competência, técnica, uma aula de futebol coletivo, solidário. No placar agregado, depois dos 4 x 0 no Mineirão, um incontestável triunfo de 6 x 1, que diz tudo e coroa a extraordinária temporada do Galo Mineiro.

O Galo é bicampeão da Copa do Brasil e também Campeão Brasileiro/2021. Festa em BH, em toda Minas Gerais.
**
Na Arena da Baixada
Clima de festa, arquibancadas cheias, torcida excitada, taça prateada exposta, Espetáculo de som e cores! O Athlético, Furacão paranaense, de rubro-negro, e o Galo Mineiro com sua tradicional camiseta em P & B, em listras grossas verticais.
Bola rolando ...
Em campo, clima de guerra. A partida começou pegada, quente. O Furacão querendo impor ritmo, correria, dividindo todas, e o Galo, com toda a vantagem obtida no primeiro jogo (4 x 0 no Mineirão) amaciando, sem pressa, enervando... Muito corpo a corpo, jogo tenso, falado demais e com algumas jogadas violentas. O árbitro contemporizava. Mais brigado que jogado.
- Olhe o VAR ! Aos 19 minutos, Pedro Rocha empurrou a bola para as redes dos mineiros, mas ao tentar cabecear, ajeitou a bola na mão. Daronco tinha marcado gol, mas foi chamado e o VAR flagrou a irregularidade; gol anulado. Daí...
- Gol 1 x 0, Atlético, aos 25’. Vargas puxou o contragolpe em velocidade, Zaracho cruzou da direita e Keno, de frente, na linha da pequena área, completou.
O Furacão se desmanchou com o gol do Galo, perdeu a cabeça e os mineiros controlaram o jogo pondo a bola no chão, trocando passes, envolvendo...
- Aos 29’, noutro contragolpe bem urdido, Hulk entrou livre pela direita e perdeu, de cara, encobrindo o goleiro com um totó, bola raspando.
Primeiro tempo com um Athlético agoniado, descontrolado, o torcedor agitado, inflamando, e o Atlético maduro, ocupando os espaços, explorando os contragolpes, comandando as ações.
*
O rubro-negro voltou brigando menos e jogando mais na bola. A torcida da casa não parava de incentivar. O Galo na dele, na manha. Antes dos 5 min, Everson trabalhou mais do que em todo o primeiro tempo. Aos 9’, uma bomba de Canesin, da meia lua, Everson espalmou.
- Olhe o VAR! gol de Mingotti, impedido! O vídeo confirmou a bandeirada. Aos 11’.
O Furacão melhor, amassando o Galo. Mas, aos 15’, num contragolpe mortal, Keno deixou Vargas de frente, para ampliar, mas o chileno furou no arremate, perdendo a chance. Aos 24’, Allan arrematou de fora, de canhota, depois de boa troca de passes dos mineiros, Santos salvou, espalmando.
- Gol ! 2 x 0, Hulk, aos 30. O contragolpe, o passe em profundidade de Savarino, a velocidade do atacante, o artilheiro do Brasil, e o toque de classe cobrindo o goleiro que saia desesperado. Um lance de cartilha, pintura.
- Gol ! 2 x 1, aos 42 minutos. Jaderson, escorando cruzamento da esquerda, a defesa mineira já parada.
Savarino chegou a marcar o terceiro do Galo, mas foi flagrado em impedimento no lance.
E a torcida do Furacão fez festa até o apito final, mesmo com o titulo e triunfo do Galo. .
*
Destaque para o futebol coletivo do Campeão, bola de pé em pé, envolvente. Parabéns Cuca ! E Hulk, óbvio.
**
Escalações:
O Galo Mineiro: Everson, Mariano, Rabelo, Junior Alonso e Arana; Allan, Jair (Tchê Tchê), Zaracho (Calebe); Vargas (Nacho), Hulk (Sasha), Keno (Savarino). Treinador, Cuca.
O Athlético PR : Santos, Marcinho (Khellven), Pedro Henrique, Ze Ivaldo, Abner; Christian (Canesin), Erick, Terans, Citadini (Jader), Pedro Rocha ( Jadeson) ; Kayzer (Mingotti). Treinador, A Valentim.
Daronco no apito, com VAR.
**
Lambendo feridas ...
- Rebaixado para a Segundona, a Série B /2022, com um prejuízo inicialmente calculado em mais de 60 milhões por conta disso, o Bahia - torcida, diretoria, comissão técnica, jogadores – ainda lambe as feridas e precisa urgente cair na real e planejar, projetar o amanhã, a próxima temporada dentro da nova realidade. Dinheiro curto, um plantel enxuto e bem mais competitivo, mais comprometido dentro de campo. Ou ... se manterá no atolo por muitos anos.
- De novidades, até agora, a demissão de diretores ligados à área de futebol, que nada acrescentaram, e de mais profissionais lotados nas divisões de base, sub-23 etc... Mas é preciso uma limpeza total, uma varredura e mudanças de critérios, de métodos e objetivos. Bellintani será capaz de reerguer o Bahia que ele afundou ?
- O treinador Guto Ferreira topou e deve continuar à frente do elenco profissional. Melhor que trazer alguém que desconheça o plantel, suas deficiências e as carências do clube. O goleiro Danilo Fernandes continua. Rossi, um atleta de salário alto, teve seu contrato automaticamente renovado por conta de cláusulas e acertos, mas não se sabe se fica ou será emprestado. É um jogador que briga em campo mas prejudica o time com suas expulsões e cartões seguidos.
- Conti, o zagueiro argentino, não deve ficar por conta de custos, bem como Gilberto. Capixaba volta pro Grêmio. E Rodriguinho, e Daniel e Mikon Douglas e ? ... Ìndio Ramirez fica, Rodallega? Numa boa e necessária varredura, só deveria continuar quem está disposto a dar sangue e suor, com espírito vencedor, comprometido. A Série B é dura, pegada, corrida, desgastante, dificílima. Jogador pipoca fora !
- O Tricolor tem pela frente o Baianão, que deve mais uma vez ser disputado pelos aspirantes sub-23, não se sabe bem com que objetivos. Tem o Nordestão, uma copa que rende grana e prestígio e da qual o Bahia é campeão. E ainda a Copa do Brasil. Mas o grande projeto da temporada é a volta à Série A, a elite, mais que urgente. Mas vai ser muito difícil, uma pedreira.
- Vejam só os clubes que disputam a Segundona, além do Bahia: Grêmio, Vasco, Sport, Cruzeiro, Chapecoense, Ponte Preta, Guarani, CSA, CRB, Náutico, Vila Nova, Operário, Brusque, Sampaio Corrêa, Londrina, Criciúma, Ituano, Tombense, Novo Horizontino.

**
No Vitória, agora na Série C, o inferno do Brasileirão, o clima é reformulação total. Dois nomes de treinadores estão à frente do projeto Terceirona 2022: o veteraníssimo e manjado Geninho, experiente, malandro, conhecedor profundo dos meandros do mundo da bola, e o ‘eterno quebra galho’ Ricardo Silva, que vai pegar no pesado, no trabalha duro. Eles conhecem bem cada canto do Barradão.
- O Leão tem pela frente o Campeonato Baiano, que já começa nos meados de janeiro, e a Copa do Brasil. Voltar urgente para a Série B, reconstruir o caminho de volta para a elite é o objetivo, prioridade maior na temporada.
- Muitos atletas estão indo embora e outras já chegando, como o lateral Alemão, o zagueiro Cassiano, o lateral canhoto Vicente, o zagueiro Ewerton Pascoa, um atacante de nome Guilherme ... No mais, renovou com o veterano Dinei, Wallace está negociando ... veremos uma nova equipe em campo com o uniforme rubro-negro. “Equipe” se der liga, se encaixar, entrosar, vencer... Muita viagem e muito gramado ruim pela frente.
- Times da Série C, além do Vitória: Remo, Confiança, Manaus, Botafogo/PB, Paissandu, Altos/PI, Ferroviário, Atlético/CE, Campinense, ABC, Ipiranga, Brasil de Pelotas, Volta Redonda, Figueirense, Floresta, São José/RS, Mirassol, Botafogo de Ribeirão Preto e Aparecidense.
**
Champions League
Definidos, por sorteio, os confrontos das Oitavas de Final da competição de clubes mais badalada do planeta, a nata dos clubes europeus e dos craques mais bem pagos do planeta:
- Bayern Munique x RB Salzburg, Manchester City x Sporting, Ajax x Benfica, Real Madrid x PSG, Liverpool x Inter de Milão, Juventus x Villarreal, Lille x Chelsea, Manchester United x Atlético de Madri.
**
Minha Seleção da temporada brasileira/2021:
- Wéverton, Picachu, Junior Alonso, Gustavo Gomes e Arana; Arão, Edenílson e Rafael Veiga; Arthur, Hulk e Bruno Henrique.
Treinador, Cuca.
**
- A nota negativa da temporada, sem dúvida: as péssimas, comprometedoras e suspeitas arbitragens, com VAR e tudo. Absoluta falta de critérios e insegurança.

**
Foto: EC Atlético Mineiro