Bahia vence Ponte no sufoco e retoma a lideranças





Por Zédejesusbarreto
Numa rodada de pouco gols e muitos empates, o Bahia derrotou a Ponte Preta de Campinas na Fonte Nova (2 x 1, dois gols de Davó) e, mesmo levando sufoco no segundo tempo, manteve a invencibilidade em casa e retomou a liderança, com 16 pontos, colado com o Cruzeiro, que ainda joga domingo.

O Tricolor fez um bom primeiro tempo (1 x 0), com 25 minutos empolgantes. Na segunda etapa, a Ponte em cima, o Bahia ficou acuado na defesa e levou o empate, mas Jacaré entrou e, num lance de velocidade e linha de fundo, deu o gol a Davó, desafogando o torcedor que já estava inquieto e impaciente na arquibancada.

Jogo duríssimo, de segundona, e valeu pelos três pontos ganhos.

**

Na Fonte Nova

- Noite de ventos frescos (26 graus), sem chuvas, arquibancadas com um público já bem melhorado (mais de 23 mil presentes), relvado no trinques, o Tricolor invicto em casa até então e de olho no topo da tabela de classificação.

- O Bahia de camisetas brancas, calções em azul escuro. A Ponte de camisa preta com a faixa diagonal branca.

*

Com bola rolando ...

A ponte não veio atrás. Postura inicial ofensiva, pegada forte, jogo franco. Logo com 1 minuto, Warley roubou uma bola no meio-campo, arrancou em velocidade e arrematou para a espalmada de Caíque França. Aos 9’, outra roubada de bola na frente, por Davó, Rildo arrematou firme da meia lua, por cima. Até os 10’, o Bahia pressionava mais.

- Aos 11’, Rildo bateu falta da esquerda, bola pingando na pequena área, Luis Otávio e Ignácio quase alcançaram. Ignácio foi puxado pela camisa, os tricolores queriam pênalti, o árbitro não deu, nem o VAR. Aso 14’, boa arrancada de Rildo pela esquerda, o zagueiro mandou a escanteio o cruzamento. Na cobrança ...

- Gol ! 1 x 0, Davó, fechando na direita, testou o cruzamento largo, aberto, de Marco Antonio, da esquerda. O goleirão saiu no alto e não alcançou. Aos 15 minutos. Primeiro gol de Davó com a beca tricolor.

A torcida reagiu bem nas arquibancadas, a Ponte tinha de sair pro jogo, avançar as linhas, abrindo espaços para as estocadas em velocidade do Tricolor. Aos 22’, Rezende testou outro cruzamento de escanteio e a bola bateu de raspão no travessão. Aos 25’, primeiro chute da Ponte, de longa distância, a meia altura, Danilo Fernandes espalmou a escanteio.

- Aos 35’, um belo chute cruzado e forte de Danilo Gomes, assustando, passou perto do travessão. Os paulistas foram pra cima, cresceram. Perigam, finalizam mais. Aos 38’, Fabrício arriscou de falta, a média distância, Danilo Fernandes catou em dois tempos. O Tricolor já não tinha o controle, cedeu espaços e não conseguia encaixar o contragolpe.

Aos 47’, o árbitro encerrou a primeira etapa, quando o Bahia foi avassalador até uns 25 minutos, depois caiu de ritmo, a Ponte equilibrou e teve bons momentos, chutando mais em gol, empurrando as linhas do Tricolor pra trás. Nada definido, pois. Jogo duro, mas leal.

*

No intervalo, Guto trocou Warley (sem ritmo, estreia, bons lances) por um meio-campista mais pegador, inteiro (Falcão). Helio dos Anjos, trocou na frente, tirou Echaporã e pôs Fessim, aquele mesmo, ex-Bahia. Um recomeço bem equilibrado, a mesma pegada, marcação, velocidade. O time de Campinas com suas linhas adiantadas, tentando fazer pressão na saída de bola baiana. O Tricolor acuado, sem conseguir sair do sufoco. Até os 15’, só a Macaca atacou.

- Aos 16’, Rezende roubou uma bola pela esquerda, cruzou rasante e quase Davó escorou na pequena área. Foi equilibrando as ações, mas os paulistas tinham mais posse de bola. Aos 30’, boa jogada de Jacaré pela esquerda, finalização frouxa de Davó. Na sequência...

- Gol ! 1 x 1, Fessim. Bola da esquerda rolada para o meio, Fessim chutou mascado, a bola desviou na zaga e Danilo foi traído, bola no cantinho, fraca. Aos 32 minutos.

- Gol ! 2 x 1 Bahia, Davó, escorando já caído na pequena área um cruzamento de fundo, da direita, do veloz Jacaré. Aos 38 minutos. Ufa! Quando a Ponte Preta parecia ter o jogo à feição, era melhor.

A Macaca não se entregava, brigando muito. O árbitro acrescentou 4 minutos aos 45’, mas o Tricolor suportou. Bom resultado, atuação oscilante.

*

Destaques

Um Danilo Fernandes inseguro, soltando bolas bobas, levou outro gol defensaval. Luiz Henrique muito superior a Borel. Ignácio e Luis Otávio sem erros. Patrick sumido, Rezende raça pura. Rildo pelo primeiro tempo, Davó pelos dois gols, Jacaré pelo lance decisivo.

*

Escalações

- Bahia (com os desfalques dos titulares Danielzinho e de Rodallega): Danilo Fernandes, Borel, Ignácio, Luis Otávio e Luiz Henrique; Patrick, Rezende(Emerson) e Warley (Falcão, Gregory); Davó, Rildo (Jacaré) , Marco Antonio (Gustavo). Treinador, Guto Ferreira.

- Ponte Preta, a ‘Macaca’ de Campinas: Caíque França, Bernardo, Thiago Oliveira, Fabrício e Jean Carlos; Fraga, Leo Naldi, Ramon; Matheus, Echaporã (Fessim) e Danilo Gomes (Igor, Luis Fernando, Ramires, Gabriel)). Treinador, Hélio dos Anjos.

- Arbitragem das Alagoas, com auxílio do VAR (um carioca no comando, não devia). Denis da Silva Ribeiro Serafim no apito. Seguro, boa arbitragem jogo difícil.

*

- No outro jogo da noite: Brusque 1 x 0 Tombense.

- No sábado, Operário x Ituano; fechando a rodada, domingo: Cruzeiro x Sampaio Correa.

*

Já pela 9ª rodada, o Bahia vai enfrentar o Tombense/MG, lá, na sexta, dia 27, às 19h.

**

 

Pela Série C, o Vitória joga neste domingo, 22, no Barradão, contra o Confiança/SE. Muita expectativa por uma reação do Rubro-negro.

**
Foto: EC Vitória