Bahia encarou mas perdeu de virada para o Athlético/PR na Fonte Nova





Por Zedejesusbarreto
O Tricolor jogou de igual para igual com o Furacão paranaense, abriu o placar mas cedeu a virada (2 x 1) em dois lances de erros defensivos, um cochilo e um escorregão, ainda no primeiro tempo. O Bahia foi pra cima na segunda etapa, atuou mais próximo da área adversária, criou algumas boas chances mas não fez. O Athlético soube suportar e administrar a vantagem no placar.

No mais, o Tricolor foi, mais uma vez, visivelmente prejudicado, perseguido pela arbitragem de Santa Catarina (sempre a CBF escala árbitro catarinenses para apitar contra o Tricolor, por quê?).

Sem desespero, o time não se apequenou diante de uma equipe de primeira, cara e poderosa, e poderia ter vencido. Tem o jogo de volta, bem mais difícil, óbvio, lá em Curitiba. O Bahia está vivo. E sábado tem mais Fonte Nova, Série B.

*

Fonte Nova

- Primeiro confronto das equipes valendo pelas oitavas de final da competição. O segundo jogo, que definirá quem segue adiante às quartas de final será no dia 12 de julho, na Arena do Furacão, Curitiba.

- O Athlético em campo, vindo de 9 jogos sem derrotas, entre os primeiros colocados no Campeonato Brasileiro/Série A, e deslanchando na Libertadores da América. Uma equipe chamada de ‘Furacão’, agora sob comando de Luis Felipe Scolari, treinador consagrado, campeão do mundo (a despeito dos inacreditáveis 7 x 1 contra a Alemanha, copa de 2014, no Mineirão, ele no comando).

- Noite fria invernosa de quarta-feira, sem chuvas, bom público nas arquibancadas (mais de 20 mil presentes), gramado em boas condições ...

- O Bahia de Tricolor (camisa listrada) e o rubro-negro do Paraná com uniforme branco.

*

Com bola rolando ...

- O Athlético começou marcando alto, na saída de bola da zaga baiana, mas o Bahia também apertava a marcação na frente, pressionando. Daí, numa roubada de bola, Rodallega arrancou e sofreu falta na entrada da área, de frente, quando ia finalizar.

- Gol! 1 x 0, aos 4 minutos. Mugni bateu bem a falta, de canhota, pelo alto e abriu o placar. Fazia tempo que o Bahia não marcava em cobrança de falta. Mas...

- Gol ! 1 x 1, aos 9 minutos. Num cruzamento da direita (Khelven), na área Tricolor, a zaga tricolor ficou espiando, de bobeira, a marcação frouxa (cadê Patrick?), e o meio-campista Christian, livre, matou e finalizou. Empatando.

Jogo movimentado, equilibrado, ofensivo, bom de ver. Aos 17’, após escanteio cobrado por Mugni, Davó solto na área atrapalhou-se com a bola, desperdiçando a chance de concluir. Aos 20’, Borel mandou bala depois de uma cobrança de escanteio, mas errou o alvo. Aos 25’, boa jogada de Borel, Davó demorou de definir na área. O Furacão, ganhando o meio campo, era perigoso sempre nos contragolpes em alta velocidade. Lá e cá.

- Gol! 2 x 1 Athlético, aos 30 minutos. Pedro Rocha completou cruzamento de Khelven, em velocidade, Luiz Henrique escorregou (infelicidade) quando parecia ter o controle do lance, e... o Furacão não perdoou. A cobertura da zaga chegou tarde.

- Aos 34’, Rodallega recebeu na entrada da área, livrou-se da marcação e bateu firme para ótima defesa de Bento, evitando o empate. Aos 38’, Ignácio arriscou e Bento defendeu em dois tempos.

*

Uma falha de marcação e uma infelicidade (escorregão); assim surgiram os dois gols do Athlético, apostando em erros do adversário, forçando pelas laterais; daí, os 2 x1 de virada para os visitantes, num primeiro tempo muito igual e intenso. Arbitragem com critérios diferentes nas marcações de faltas e aplicação de cartões (só puniu atletas do Bahia). Mal intencionado(?).

*

Com mudança na lateral esquerda e reposicionamento na marcação do meio campo, fechando mais os lados do campo.

- Aos 4’, Davó tabelou e Rodallega bateu forte para a espalmada do goleiro Bento, salvando. O Bahia voltou em cima, forçando, buscando o empate. Três boas chances de gol criadas pelo Tricolor. O árbitro em ação, segurando ... mascando, amarelando os atletas baianos (Ignácio, Daniel, Borel em sequência; e nada de punição pros rubro-negros...), cozinhando, travando a reação Tricolor. Borel, amarelado, foi substituído e saiu vaiado; crueldade com o garoto.

- Aos 16’, Mugni alçou uma falta, Luis Otávio cabeceou, fraco, nas mãos do goleiro. Pedro Rocha, deu Danilo Fernandes. Aos 19’, Daniel enfiou pra Davó que desperdiçou mais outra boa chance. Guto, que também tomou amarelo, trocou: Jacaré e Raí em campo, em busca de gol. Arriscando tudo.

- O Bahia em cima, tentando, buscando, mas abrindo-se também atrás, vulnerável nos contragolpes inimigos. O Athlético mais precavido, fechadinho, só saindo na boa. Aos 35’, Danilo Fernandes salvou, numa boa finalização de Pedrinho; grande defesa. O Bahia inteiro na frente, na vontade, mas ... Aos 44’, num contragolpe, Babi dividiu com Danilo Fernandes, o goleiro prevaleceu.

- Aos 45’, jogadores e torcida pediram pênalti, bola no braço do defensor paranaense... num lance de área, Rodallega finalizando. O árbitro preferiu marcar falta do atacante, ignorou o toque do defensor. Pressão final, mas... o gol do Bahia não saiu.

*

Destaques

Mugni, disparado, o melhor dos tricolores em campo. Rodallega, lutou muito, só faltou o gol.

O Furacão é uma equipe bem arrumada, entrosada, perigosa.

*

Escalações

- O Bahia de Guto Ferreira: Danilo Fernandes, Borel (André), Ignácio, Luis Otávio e Luiz Henrique (Djalma); Patrick (Raí), Mugni (Falcão), Rezende, Daniel; Rodallega e Davó (Jacaré)

- O Athlético/PR de Felipão: Bento, Khelvem, Pedro Henrique, Hernandez e Abner; Hugo Moura, Christian e Terans; Pedro Rocha, Pablo e Cuello (Citadini, Matheus Babi, Pedrinho e Erick).

- Arbitragem de Santa Catarina (?); Bráulio Machado no apito. Na dúvida, sempre decidiu em favor dos sulistas, os vizinhos, soprador de apito manjado, parcial, um desastre. Comprometeu o espetáculo. Com VAR.

**

- O Bahia volta a campo no sábado, 16h, pela 14ª rodada da Série B/Brasileirão, contra o Novorizontino, na Fonte Nova.

*

- Nesse mesmo sábado, às 19h, o Vitória, de treinador novo (João Burse), joga contra o Altos/PI, no estádio Lindolfo Monteiro, pela 12ª rodada da Série C.

**

Outros jogos da Copa do Brasil:

- Na noite de quarta: Atlético/GO 0 x 0 Goiás; Fortaleza 1 x 0 Ceará (segue);

Corínthians x Santos; Atlético Mineiro 1 x 0 Flamengo (segue).

- Na quinta: América MG x Botafogo; São Paulo x Palmeiras; Fluminense x Cruzeiro.

**

Foto:EC Bahia